Alunos do “Se liga” e “Acelera” em Juazeiro participam de trabalho realizado por fotógrafo francês

Fotógrafo francês realiza trabalho em Juazeiro (BA) (Foto: ASCOM)

Fotógrafo francês realiza trabalho em Juazeiro (BA) (Foto: ASCOM)

O fotógrafo francês Ivan Franchet e a jornalista e tradutora Marília Rocha, registraram, nos dias 16 e 17 deste mês,  um trabalho desenvolvido em Juazeiro com alunos atendidos pelos programas de Correção de Fluxo ‘Se Liga’ e ‘Acelera’, uma parceria da Secretaria de Educação e Esportes-SEDUC com o Instituto Ayrton Senna.

O francês registrou o dia a dia dos alunos nas escolas municipais Edson Ribeiro, Joca de Souza, Nossa Senhora das Grotas e Maria José Lima da Rocha. Franchet disse que veio ao Brasil especialmente para conhecer de perto os avanços na Educação, e que está feliz e satisfeito com o que tem visto.

“Estou muito impressionado com o entusiasmo dos alunos e professores, tudo é feito para despertar o interesse das crianças. Percebemos que durante as atividades em saca de aula eles brincam, mas ao mesmo tempo aprendem, e os professores estão sempre empenhados e entusiasmados”, disse o fotógrafo.

Ele ainda contou que as fotos serão utilizadas para apoiar o trabalho do Instituto, e no seu retorno à França realizará uma exposição para mostrar em seu país, o trabalho de excelência desenvolvido em Juazeiro.

Os programas de correção de fluxo: Se Liga e Acelera Brasil, tratam dos problemas já existentes, como o analfabetismo, a defasagem e o abandono, nas primeiras séries do ensino fundamental. “Há sete anos a gestão do prefeito Isaac implantou os programas, e os bons resultados contribuem para a continuidade dos programas do Instituto Ayrton Senna, que fazem parte da política pública de correção de fluxo adotada pelo município. Hoje trabalhamos com 52 turmas do Se Liga e Acelera Brasil”, informou a coordenadora dos programas de Correção de Fluxo da SEDUC, Denise Farias.

O aluno da Nossa Senhora das Grotas, Pedro Henrique afirmou que depois do programa aprendeu a ler e a escrever corretamente. “Eu tinha muita dificuldade na leitura, mas com a dedicação das professoras e a minha, hoje leio e escrevo bem. Adorei a visita do Ivan. Ele veio de outro pais conhecer nossa escola e tirar fotos nossas, estamos famosos”, brincou o aluno do 5º ano, que sonha em ser advogado.

A jornalista de São Paulo, Marília Rocha, analisou o programa e afirmou que percebeu como o projeto ajudava a vida dos alunos, tanto na aprendizagem, quanto na relação com a escola. “Quando se pensa em um conceito de educação integral, que vai olhar para o aluno como um todo, é essencial pensar também no ambiente que está sendo oferecido. Observamos que a estrutura das escolas municipais é bem bem cuidada, com materiais de qualidade, o que faz toda a diferença para que a metodologia utilizada pelo Se Liga e Acelera seja eficaz”, finalizou a jornalista.

Deixe uma resposta