Após celeuma sobre óbito por covid-19, secretário de Saúde de Orocó afirma que diagnóstico é feito pelo LACEN

Município registrou primeiro óbito no final de semana (Foto: Reprodução/Internet)

A notícia de um óbito pelo coronavírus em Orocó, Sertão de Pernambuco, provocou um alvoroço na cidade. Parte da população questionou a veracidade do diagnóstico, especialmente após a família da paciente apresentar uma falha no resultado do LACEN.

LEIA TAMBÉM

Cabrobó e Orocó registram 1º óbitos por covid-19

A morte da idosa de 67 anos aconteceu no dia 9 de maio, mesma data da coleta feita pela Secretaria Municipal de Saúde. Contudo no exame do LACEN, a coleta conta no dia 11.  Para esclarecer o fato, o Blog Waldiney Passos entrevistou o secretário de Saúde de Orocó, Ricardo Ferraz, que explicou toda situação.

Procedimento padrão

“Essa paciente veio a óbito no dia 09/05. Ela chegou com queixa de dor no abdômen, foi medicada pela equipe que estava de plantação. Duas horas depois ela foi evoluindo com cansaço, fadiga e veio a óbito. A gente é orientado pela Secretaria Estadual [SES-PE] que o paciente que vem a óbito com esses sintomas que faça a coleta e envie o LACEN“, destacou o secretário.

Data trocada foi falha do LACEN

Para Ferraz, o que provavelmente houve foi um erro de digitação. “A partir daí a responsabilidade passa a ser do Estado, que é [dar] o resultado do exame. Deu positivo, mas no resultado do exame existe uma discordância na data do preenchimento da coleta. Acho que houve um equívoco da pessoa que fez a digitação. A data da coleta foi dia 9 e eles colocaram dia 11″, pontua.

Orientação a família

Após receber o informe da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) a Prefeitura informou a família sobre o diagnóstico e pediu para que todos cumprissem o isolamento. Para o secretário, o que houve foi a não aceitação do resultado, que levou a uma confusão na cidade.

“A gente fica solidário à família, estamos passando por momentos difíceis. Em cidade pequena não é bem aceito [o paciente dar positivo]. A população fica aflita. Mas nós da Saúde temos que fazer nossa parte, fazer o enfrentamento. Espero que entendam que houve essa falha do LACEN no preenchimento e que o município, nós não temos responsabilidade pode resultados”, finalizou.

Deixe uma resposta