Após morte de estudante da Facape, médico descarta risco de epidemia por vírus H1N1

(Foto: Internet)

(Foto: Internet)

A direção da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape) entrou em contato com o médico responsável pelo caso de Lucas dos Santos Souza, discente do quarto período do curso de Gestão da Tecnologia da Informação, que veio a óbito na última quarta-feira (16), após dar entrada no hospital com suspeita de ter contraído o vírus H1N1.

Segundo o médico, José Carlos Moura, não há risco de epidemia. Exames para constatar se a causa da morte do estudante foi realmente pelo vírus H1N1 foram realizados e estarão prontos dentro de cinco dias.

A Vigilância Epidemiológica do município foi acionada e a Secretaria de Saúde da cidade informou que não existe relato de epidemia ou surto de Influenza por H1N1 no estado de Minas Gerais e essa não é a época de maior circulação do vírus.

A Autarquia está em contato com todas as instituições responsáveis por analisar o caso e se coloca a disposição para qualquer medida que seja para manter a segurança dos estudantes e da comunidade.

Ao todo cerca de 40 estudantes, acompanhados de duas professoras saíram no dia último dia 7 de novembro para participar da Campus Party, na cidade de Belo Horizonte (MG) e retornaram na última segunda-feira (14). Lucas foi o único que apresentou sintomas do vírus.

O velório aconteceu na 1ª Igreja Batista de Sobradinho e o enterro será às 16 h no cemitério da cidade. Todos que fazem parte da Facape se solidarizam com a família do estudante.

Deixe uma resposta