Após ter irmã citada por líder da Situação, Valgueiro afirma: “A vida pessoal dos meus familiares não tem nada a ver com minha atuação aqui na Câmara”

Clima quente pendeu para lado pessoal na sessão de ontem (24)  (Foto: Blog Waldiney Passos)

A terça-feira (24) na Casa Plínio Amorim foi quente, com o líder da Situação partindo para o lado pessoal contra o da Oposição. Aero Cruz (PSB) desqualificou os Requerimentos dos adversários e criticou Paulo Valgueiro (MDB) que comanda os opositores de fazer politicagem e até tentar fraudar um dos pedidos.

Aero reconheceu a importância da investigação da Lava-Jato, mas ironizou o pedido do colega. “Esse processo da Lava-Jato deve ser feito, nosso grupo também está sendo investigado e foi alvo de algumas ações em Petrolina e Recife. Estamos esclarecendo, a Justiça e a verdade sempre prevalece. O vereador que é autor do Requerimento sabe quantos processos o ex-prefeito Julio Lóssio tem, quem bem sabe é ele que é advogado. Ele e a irmã dele“, disse à imprensa.

LEIA TAMBÉM:

Aero acusa Oposição de fraudar Requerimento; Valgueiro rebate colega: “Consciência tranquila”

O líder governista foi além e citou irregularidades do governo Lóssio para enfraquecer a reivindicação apresentada por Valgueiro. “Nós estamos vendo a investigação que passa de R$ 20 milhões da Nova Semente. É o Ministério Público Federal que tá investigando. Por que ele não falou da fraude do IGEPREV, da fraude do São João, por que ele não falou da fraude de quando ele era presidente da EPTTC? Nosso grupo foi alvo de busca e apreensão. Quando eu coloco que o vereador Paulo Valgueiro é porque fui processado na época da eleição, provei a verdade e não fui condenando e as as minhas ações foram feitas pela irmã [que é advogada] do vereador. Digo com conhecimento de causa”, destacou.

Valgueiro rebate

Para o líder da Oposição, a fala de Aero é uma prova de que a Situação não tinha argumentos para derrubar seu Requerimento. “Eles não tinham argumentos para votar contra o pedido de informações se apegaram em detalhes bobos. O que a gente queria saber era se essas empresas prestaram serviços à Prefeitura. O Requerimento caiu, a Justiça Federal continua nas ruas e a gente vai continuar insistindo”, afirmou.

Sobre a citação de sua irmã, o emebista foi claro: “Minha irmã, meu irmão e eu somos todos os três advogados. Se eu for contratado, eu vou defender. Minha irmã, meu irmão e Paulo Valgueiro advogado somos instituições que nada têm a ver com o dia a dia da Câmara. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. A vida pessoal dos meus familiares não tem nada a ver com minha atuação aqui na Câmara”, finalizou.

Deixe uma resposta