Artigo do leitor, 5 de dezembro, dia da Medicina de Família e Comunidade

Médicos das UBS reunidos na Univasf

Um grande dia para celebrar a história da Medicina de Família e Comunidade no Vale do São Francisco e no Brasil, reconhecendo o importante papel que esta especialidade possui para o SUS e os sistemas de saúde no mundo, além de projetar um futuro ainda melhor para a nossa população.

Neste dia 5 de dezembro de 2015 comemoramos no Brasil o Dia da Medicina de Família e Comunidade, data que coincide com a fundação da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), assim escolhida para celebrar a nossa especialidade. Somos ainda poucos profissionais na região, no entanto somos o maior programa de residência médica da região e o terceiro maior programa de residência em medicina de família e comunidade do país.

Representamos uma área que ainda vem chegando a sua maturidade (34 anos) mas que aos poucos, com a ampliação da Atenção Básica e a presença cada vez maior de médicos de família nas unidades de saúde, temos conquistado importante vinculação com as pessoas e a confiança da nossa população.

Comemorar este dia é lembrar-se daqueles que são o nosso maior objetivo: as pessoas.

E nesse momento vem a lembrança do abraço de dona Maria que acamada em seu quarto enfaticamente expressou gratidão e disse “obrigado por não se esquecer de mim, espero que volte logo! “.  Do seu João que chegou todo preocupado com dúvidas sobre “querer cuidar da próstata” e com muita tranquilidade conversamos sobre o quanto aquilo lhe preocupava e, baseado em seu histórico e suas informações, aos poucos fomos esclarecendo suas dúvidas e combinando o seu acompanhamento. Mesmo sem exames ou medicamentos isso garantiu bastante tranquilidade ao seu João. De dona Josefa que mesmo já tendo se esquecido da visita que realizamos no mês passado combina toda animada a visita do mês que vem para “acertarmos seu remédio”.

Da perseverança “daquelas” senhoras de oitenta e poucos anos que mesmo com dificuldade, naquele dia que você achou que não iria ninguém participar do grupo educativo, enfrenta as dores nos joelhos e chega no grupo de tabagismo dizendo “doutor… eu não poderia faltar e deixar de participar do grupo! “.

Da gestante que mesmo tendo o doutor do “plano de saúde” faz questão de ser acompanhada na unidade de saúde para saber “se tudo está indo bem”. Das mães de “primeira viagem” que chegam cheias de dúvidas e quando saem das consultas exibem um olhar de alívio e de confiança.

Da garra das nossas equipes de saúde da família que mesmo cansadas e sobrecarregadas planejam e se esforçam todos os dias para realizar um melhor cuidado para nossa comunidade. E ainda de outras tantas oportunidades de encontros, que conseguimos lembrar, em que houve valorização da qualidade de vida, da autonomia e de autoconfiança das pessoas.

Ainda hoje muitos nos perguntam…Colegas, amigos, pacientes, pai, mãe, avó, avô, tio, tia, irmão, irmã:

– A sua especialidade cuida de que mesmo?

E prontamente respondo:

– De gente como a gente…

Além de ser um dia para comemorar todas essas gratas lembranças, ainda é uma importante data para lembrar do nosso comprometimento em conquistar uma saúde que seja acessível, humanizada e qualificada e também dos principais avanços desta nossa especialidade aqui no Vale do São Francisco e em todo o nosso Brasil.

A MFC é uma especialidade que se dedica à Atenção Básica, um nível fundamental e estratégico para todos os sistemas de saúde eficazes. Uma área que se dedica a pensar e garantir o acesso da população aos serviços de saúde, que vê as pessoas como um todo indivisível, coordenando todo o cuidado das pessoas em todas as etapas de vida e considerando importante o seu contexto familiar e comunitário.

Mesmo com algumas dificuldades em nosso país, pudemos vivenciar nestes últimos dois anos uma mudança importante na organização do SUS. Como a expansão pela qual passa a Atenção Básica em todo o país, com crescimento de 4,5 vezes da sua cobertura, com um aumento de 33% das consultas nas unidades de saúde e redução de 4% nas internações hospitalares e especialmente em nossa região a rede municipal de saúde de Petrolina que em cinco anos partiu de uma cobertura de 32% para os atuais 82% na atenção básica.

Aqui em nossa região temos atuado e acompanhado ativamente o impacto que o Programa Mais Médicos vem trazendo. Com o apoio da Universidade Federal do Vale do São Francisco e da Residência de Medicina de Família e Comunidade supervisionamos profissionais ligados ao programa em 45 municípios e, em âmbito nacional, foi possível observar a ampliação de acesso para mais de 60 milhões de brasileiros ao SUS em cerca de 72,8% dos municípios nestes últimos 2 anos.

Nosso programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade, construído em conjunto com o município de Petrolina, completa cinco anos de existência e passou por uma ampliação de uma para dezoito vagas neste período. Hoje estamos presentes em 20 equipes de saúde distribuídos e seis unidades, o que corresponde a 25 % da rede de atenção básica do município, também responsáveis pela preceptoria dos estudantes em formação, recebendo estudantes de todos os períodos do curso de medicina. As perspectivas futuras são de que todos os médicos formados possuam vivências mais expressivas em Medicina de Família e Comunidade no intuito de garantir uma formação generalista, humanista e qualificada.

Sentimos que a responsabilidade de lutar por tudo que acreditamos bate à nossa porta e que continuar com muita garra é fundamental! Devemos sempre olhar para frente e vislumbrar um enorme campo de possibilidades nas quais possamos desempenhar um papel fundamental juntos aos maiores protagonistas a que destinamos nossos esforços: as pessoas, suas famílias e a comunidade.

Paulo Meira – Residente de MFC (R2)

Deixe uma resposta