Atuação de gestão anterior colaborou para saída de Casa Nova do mapa turístico brasileiro, diz secretário

(Foto: Reprodução/Site da prefeitura de Casa Nova)

A cidade de Casa Nova não está inclusa entre as 2.694 cidades de 333 regiões turísticas validadas pelo Ministério do Turismo no mapa do Turismo brasileiro. Integrante da região turística “Vale do São Francisco”, segundo o secretário de Turismo, Valério Rocha, duas razões contribuíram para a não inclusão da cidade no mapa.

O primeiro ponto foi a discordância de região a qual o município deveria estar integrado. Para os técnicos da Secretaria de Cultura e Turismo da atual administração, Casa Nova deveria integrar-se à região turística “Lagos e Canyons do São Francisco”, hoje composta apenas pelas cidades de Paulo Afonso e Santa Brígida, já que as dunas são um dos pontos turísticos mais famosos da cidade.

A extensão do município, diversificado, com extensa área às margens do Lago de Sobradinho, com possibilidade de expansão dos esportes náuticos, dentro da caatinga, grande parte preservada, com sítios históricos, como Pau de Colher, dá a razão para a inclusão na região turística “Caminhos do Sertão”.

Além disso, ainda de acordo com o titular da pasta, as administrações anteriores pouco se preocuparam com cadastro e registro, capacitação e melhoria dos estabelecimentos voltados ao atendimento do turista, local, regional ou estrangeiro. Nenhuma das últimas gestões deu atenção à melhoria na prestação dos serviços e nada foi realizado em termos de infraestrutura. Com isso, o resultado foi a ausência de Casa Nova no novo Mapa Turístico Brasileiro, publicado em agosto de 2019 e valido por dois anos.

O atual prefeito, Wilker Torres, está analisando, catalogando e dimensionando os problemas deixados pelas outras gestões. No entanto, os poucos recursos impossibilitam a atual gestão de empreender todas as melhorias necessárias.

“Estar fora do Mapa Turístico Brasileiro é efetivamente uma perda, que deve ser atribuída ao descaso da gestão anterior, que não conseguiu vislumbrar toda a potencialidade do turismo enquanto instrumento de desenvolvimento, geração de renda e ocupação. Recuperar este tempo perdido e alcançar de novo a certificação e habilitação turística é meta primordial para o prefeito Wilker Torres e a Secretaria de Turismo”, disse o gestor.

Algumas ações estão sendo realizadas para fortalecer o turismo na região. Ações de conscientização e mobilização junto aos empresários. Criação do Conselho de Turismo, gestão junto ao SEBRAE, SENAC e SENAR para capacitação de trabalhadores no setor; Melhoria, com recursos próprios das vias de acesso aos pontos turísticos, a exemplo das Dunas e da área do Pau de Colher.

Estão sendo feitas, ainda, a regularização de barraqueiros, ambulantes e registro de prestadores de serviços nestas áreas; Busca de captação de recursos e atração de empresários para investimento nas áreas turísticas e Apoio à realização das manifestações culturais pertinentes às áreas turísticas.

Deixe uma resposta