Audiência pública debate reforma agrária em Juazeiro

audiência juazeiro

A a audiência foi solicitada pela Regional Norte da Bahia do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST)./ Foto: ascom

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Jorge Cerqueira participou na manhã desta terça-feira (14), no auditório da Câmara de Vereadores de Juazeiro, de audiência pública sobre os desafios para a construção da reforma agrária que beneficiará os trabalhadores rurais sem terra.

A audiência aprovada em plenário por meio de requerimento de autoria do vereador Tiano Félix (PT) abrange os trabalhadores do projeto Salitrinho, Adutorinha, Tourão 1 e 2 em Juazeiro, região norte da Bahia.

O parlamentar informou que a reivindicação, faz parte do cumprimento de uma pauta acordada em 2008, entre a Codevasf e o Movimento dos Sem Terras (MST). “A ideia surgiu devido à ameaça de reintegração de posse das terras ocupadas por integrantes do movimento e o descumprimento dos requisitos que estavam no acordo para a relocação dos trabalhadores como local específico, sistema de irrigação, água, energia para que esses trabalhadores pudessem efetivamente manter suas famílias com dignidade. Estamos em busca de solução”, destacou.

De acordo com Jovanildo de Jesus (Texeira) articulador político do MST Regional Norte, o processo para a construção da reforma agrária é uma luta antiga. “Fazer a reforma é um desafio para cada homem e mulher que não possui alimento todos os dias, moradia, educação e saúde. A nossa meta é que todos tenham acesso de forma igualitária às condições mínimas de uma vida digna”, disse. Na ocasião a superintendente da Codevasf, Andrea Moreira Arraes explicou que assumiu interinamente a Companhia, mas será interlocutora na transmissão das reivindicações feitas pelo movimento. “Sairemos daqui com uma ata para quem de fato possa tomar as decisões de diretrizes. Só iremos listar as nossas ações, depois que tudo for definido pelo governo”, disse.

O secretário municipal de Agricultura Jorge Cerqueira, se colocou, em nome da administração, a disposição do movimento. “Estou lisonjeado em participar desse evento, pois acredito que o país só alcança sucesso quando valoriza e acredita nos pequenos, dando a eles, condições de crescimento. Temos que parabenizar os agricultores familiares que são responsáveis por mais de 70% do alimento consumido no Brasil, todos do movimento são responsáveis pelo fortalecimento e crescimento da nossa economia”, destacou. Após o pronunciamento dos representantes sindicais, acampados, assentados, instituições e vereadores de Juazeiro e Curaçá, foi aberto o debate entre os presentes e em seguida elaborado um documento único com as diversas reivindicações que serão encaminhadas ao Ministério Público, Governo Estadual e Federal.

Vale ressaltar que a audiência foi solicitada pela Regional Norte da Bahia do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). Também estiveram presentes representantes do Ministério Público Federal, Codevasf, Incra, Movimentos Sociais e Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Com informações de Ascom

Deixe uma resposta