Audiência Pública discute contratação de médicos para o HU-Univasf

(Foto: ASCOM)

As partes não chegaram a um acordo ao fim da audiência. (Foto: ASCOM)

Aconteceu, na manhã de ontem (29), em Petrolina (PE), uma audiência pública, que foi convocada pelo Poder Judiciário, que teve como tema principal a possibilitação do preenchimento das 67 vagas referentes ao último concurso público da Ebserh, das quais, 33 já foram liberadas para contratação.

 “Achei por bem fazer esta audiência para escutar a população e os órgãos públicos envolvidos direta ou indiretamente com o tema, para tentarmos firmar um acordo ou para obter mais subsídios para posterior julgamento da causa. ”, Arthur Napoleão Teixeira Filho, explicou o juiz da 17ª Vara de Justiça Federal, responsável por decidir o caso.

Vários representantes de instituições públicas fizeram-se presentes no evento, como: a Ebserh, o HU-Univasf, MPF, OAB, CREMEPE, Sindicato dos Médicos, Defensoria Pública Estadual de PE, Câmara Municipal de Petrolina, secretárias de saúde dos municípios de Petrolina e Juazeiro, entre outras.

Aqueles que vieram representar as instituições debateram sobre a necessidade da contratação dos profissionais, além de outros pontos inerentes à saúde pública da região que acabam por impactar o atendimento do HU-Univasf, a exemplo do baixo número de leitos oferecidos na Rede Interestadual de Atenção à Saúde do Vale do São Francisco (Rede PEBA).

O superintendente do hospital, Ronald Mendes, demonstrou, com a apresentação de diversos dados, que, mesmo com o quadro de profissionais incompleto, o hospital vem batendo, sucessivamente, recordes em número de atendimentos e de realizações de cirurgias. Até o mês de julho, o hospital já havia realizado mais de 2.578 cirurgias. Ronald falou, ainda, sobre todos os investimentos empregados para aquisição de equipamentos e insumos.

Joaquim Bedor, que é o delegado do Cremepe de Petrolina, fez uma avaliação positiva sobre a atual estrutura física do HU-Univasf. “Houve uma melhora expressiva em número de equipamentos adquiridos e na estrutura de uma forma geral. A direção é comprometida. Agora, é necessária a contratação de mais profissionais para que os médicos possam trabalhar de maneira mais confortável e dignidade para ofereceram um atendimento de mais qualidade. ”, afirmou.

Contudo, as partes não chegaram a um acordo ao fim da audiência, pois, de acordo com a consultora jurídica da Ebserh, Andrea Sabião, a instituição ainda aguarda autorização orçamentária, por parte da Secretaria de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento, para a contratação de todos os aprovados.

Apesar disso, a consultora salientou que já foram convocadas quase a metade das vagas contidas no concurso. “A Ebserh vem envidando esforços para a contratação dos profissionais necessários, no entanto foi realizado um concurso público com prazo de validade de um ano, prazo este que ainda não se findou. Até setembro serão convocados 33 médicos”, disse.

Com informações da ASCOM

Deixe uma resposta