Audiências de custódia terão revisão em Pernambuco

O secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, em entrevista ao programa Audiência. (Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem)

Nos próximos dias representantes da Secretaria de Defesa Social (SDS), Tribunal de Justiça de Pernambuco (MPPE), Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e Defensoria Pública do Estado decidirão novos rumos para a logística das audiências de custódia em Pernambuco.

O objetivo do Estado é destravar o maior gargalo do sistema: a falta de plantões do Judiciário em várias cidades do interior, que obriga a Polícia a percorrer grandes distâncias com presos em flagrantes para municípios que contem com juízes de plantão.

“Em muitos casos, cidades que já têm um efetivo pequeno o perdem para que seja feito esse transporte até locais onde existe plantão do judiciário. No caso do Sertão do Estado, onde as distâncias entre os municípios são muito grandes, trata-se de uma complicação maior”, comentou o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua.

O secretário explica que o grupo de trabalho vai tratar das regiões do Estado de forma isolada. “São realidades diferentes. No Grande Recife, por exemplo, existe uma grande facilidade de plantões do judiciário, então as audiências têm uma maior eficiência”, afirma.

Com informações do JC

Deixe uma resposta