Aumenta verba de gabinete dos deputados federais

cem-reais-notas-novas-4565-e1412861551425Enquanto, anualmente o salário mínimo corresponde a R$ 10.560,00, para suprir  despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o valor de R$ 2,3 milhões é a quantia anual da verba destinada à cota parlamentar, verba pública que deputados usam com gastos como alimentação, combustível e passagens aéreas.

O aumento na verba de mandato vai custar aos cofres públicos mais R$ 371,86 por mês para cada um dos 513 deputados,  que, a depender dos estados que representam, recebem entre R$ 30 mil e R$ 45 mil a título de cota parlamentar.

Em Pernambuco a referida cota parlamentar é de R$ 41.304,94 e no vizinho Estado da Bahia a mesma cota equivale a R$  38.638,99.

A decisão foi da Mesa Diretora da Câmara, ou seja, administrativa que não precisa ser submetida ao plenário. O presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), justifica a decisão alegando não haver aumento de gastos, mas redistribuição de valores.

2 Comentários

  • Júlio Cardoso

    20 de fevereiro de 2016 at 17:28

    Vergonhoso! O país está em crise, e os deputados não se preocupam com os gastos públicos e metem a mão no Erário sem piedade.
    A verba de gabinete tem que acabar. Os gabinetes deveriam ser preenchidos apenas por servidores concursados, para pôr fim ao empreguismo de parentes e amigos. Este país não tem jeito.
    A política e o político são muito responsáveis pelas mazelas do país. Enquanto o cinto aperta os trabalhadores brasileiros, os políticos nacionais vivem folgadamente e ainda debocham da sociedade. Mas o culpado é o eleitor, que elege qualquer mequetrefe.
    No Brasil, quando o indivíduo não tem competência para se estabelecer na atividade privada – ou não consegue emprego, ou não passa em concurso público, ou deseja usufruir das benesses públicas e das luzes da ribalta do poder – ele opta pela vida política. O jornal espanhol El País, certa feita disse que ser político no Brasil é um grande negócio por causa das vantagens auferidas.
    Respeitadas as poucas exceções, o político brasileiro só quer tirar vantagem da coisa pública. Votar em político é perda de tempo. O país perde dinheiro para manter o inchado e inoperante Congresso Nacional, bem como os demais Legislativos.

    Responder

Deixe uma resposta