Aumento da vazão na bacia do São Francisco implicará em mais produção de energia

(Foto: Reprodução/Internet)

Maio começou com a ampliação da vazão do rio São Francisco. Desde ontem (1º) a Agência Nacional de Águas (ANA) determinou que a liberação mínima média será de 800 metros cúbicos por segundo (m³/s). Esse número representa um acréscimo de 250 m³/s em relação à menor vazão registrada, em 2017, de 550 m³/s.

Hoje o reservatório opera com 48,76% da capacidade, mas espera-se que ele atinga 60% nos próximos dias. Com a ampliação da vazão será possível ampliar a geração de energia nas usinas hidrelétricas construídas ao longo da bacia do São Francisco.

A decisão foi tomada após a constatação de que os reservatórios voltaram aos níveis do período pré-crise hídrica, em 2012, e aplica-se a todos os reservatórios do sistema hídrico do Rio São Francisco: Três Marias (MG); Sobradinho (BA); Itaparica (BA/PE), também conhecida como Luiz Gonzaga; Moxotó (AL), Paulo Afonso I, II, III e IV (BA); e Xingó (AL/SE). (Com informações da Agência Brasil).

Deixe uma resposta