Bolsonaro: reforma da Previdência é passo para liberdade econômica

(Foto: Reprodução/NBR)

A reforma da Previdência é o primeiro passo para ampliar a liberdade econômica, disse há pouco o presidente Jair Bolsonaro. Ao sair de visita de cerca de uma hora ao Ministério da Economia com o ministro Paulo Guedes, ele declarou que o país corre o risco de quebrar se não conseguir reequilibrar as contas públicas.

“A outra alternativa, se o Brasil continuar tendo déficit ano a ano, é imprimir moeda. Eu acho que, se for imprimir moeda, você sabe o que vem atrás. É inflação. Outra é conseguir empréstimo lá fora. Será que querem emprestar para nós? Com qual taxa de juros? Então, não temos outra alternativa. A reforma da Previdência é o primeiro grande passo para nós conseguirmos nossa liberdade econômica”, declarou Bolsonaro.

Armadilha

O ministro Paulo Guedes disse que a reforma da Previdência é imprescindível para tirar o país da armadilha do baixo crescimento. Segundo ele, as mudanças nas regras de aposentadoria abrem espaço para o país crescer de forma sustentável por até 15 anos, com retomada do investimento interno e atração de capitais externos.

“Assim que aprovadas as reformas, o Brasil retoma seu caminho de crescimento econômico sustentável. O crescimento estava em torno de 1,5% [por ano], mas, nos últimos dez anos, o crescimento foi de 0,5%. O Brasil está prisioneiro de uma armadilha de baixo crescimento, e nós vamos escapar dela com as reformas. A reforma da Previdência abre um horizonte de 10 a 15 anos de recuperação do crescimento”, declarou Guedes.

Reunião

Bolsonaro chegou ao Ministério da Economia às 14h30 para uma visita a Paulo Guedes. Por cerca de uma hora, ele reuniu-se no auditório do prédio com o ministro, secretários especiais, secretários adjuntos, secretários, chefes de gabinete, assessores especiais e assessores. Segundo participantes do encontro, o presidente fez um pequeno discurso e ouviu opiniões dos participantes.

Fonte Agência Brasil

Um Comentário

  • Roberto José

    7 de maio de 2019 at 12:16

    Engraçado como a reforma da previdência tornou-se a solução para todos os males do nosso país. Daqui a pouco vai curar seborréia, artrite, artrose, dores nas juntas; sendo mais eficaz do que o sebo de carneiro vendido nas nossas feiras livres. Fato é que corremos um sério risco de nunca nos aposentarmos, se essa reforma passar nos moldes em que está proposta, notadamente no que se refere ao modelo de capitalização, e na desconstitucionalizacao das normas previdenciárias. Hoje temos um sistema em que todos contribuem; ou seja, trabalhadores, empresas, governos, inclusive com tributos específicos para a área, o que a torna impossível de falir, se não houver apropriação dos recursos ou corrupção. Pelo modelo de capitalização proposto, o único a contribuir será o trabalhador, que terá que entregar parte de seu salário aos bancos, correndo o sério risco de quando for usufruir da previdência, deparar-se com um banco falido, sem condições de honrar com a aposentadoria de vários trabalhadores ao mesmo tempo. Se o atual governo estivesse realmente interessado em economizar recursos, deveria primeiro realizar uma auditoria da dívida pública, para só então partir para outras áreas. O Equador fez a referida auditoria, e, pasmem, descobriram que havia dívidas a muito tempo quitadas , mas que continuavam a serem pagas. Lá a economia de recursos foi tremenda, que financiou importantes obras públicas pelo país. Mas, infelizmente, no nosso país, o governo parece ter rabo preso com os banqueiros, e, para diponibilizar mais recursos para eles, massacram o povo já tão sofrido, sem salário digno, sem emprego, e agora sem a certeza de uma aposentadoria.

    Responder

Deixe uma resposta