Bombeiros farão buscas por até 3 semanas em ciclovia do Rio

Pelo menos mais três pessoas teriam caído da pista, que ruiu em um trecho de aproximadamente 50 metros/ Foto: internet

Pelo menos mais três pessoas teriam caído da pista, que ruiu em um trecho de aproximadamente 50 metros/ Foto: internet

 O Corpo de Bombeiros do Rio vai realizar buscas por outras possíveis vítimas do acidente na Ciclovia Tim Maia por até três semanas. O comandante das unidades de salvamento marítimas, Marcelo Pinheiro, afirmou que a corporação trabalha com a possibilidade de que haja até mais três corpos no mar. Ainda não houve a confirmação de novas vítimas, já que ninguém procurou a Defesa Civil em busca de parentes desaparecidos após o desabamento da ciclovia.

“As buscas aéreas vão continuar até duas ou três semanas porque os corpos demoram de 3 a 15 dias para emergir à superfície. Além disso, eles podem se descolar a distâncias muito grandes. Podem ser encontrados até na praia do Recreio dos Bandeirantes”, explicou Pinheiro.

Segundo o relato de testemunhas, pelo menos mais três pessoas teriam caído da pista, que ruiu em um trecho de aproximadamente 50 metros. Ciclistas que passavam no local disseram que uma das vítimas desaparecidas seria uma mulher que tirava fotos do celular, encostada na mureta da pista.

Os corpos de dois homens resgatados no mar, anteontem, já foram identificados. O primeiro foi o do engenheiro Eduardo Albuquerque, de 53 anos. Ele morava em Ipanema e corria de casa até o Leblon. A mulher dele, a médica Eliane Albuquerque, viu o acidente pela televisão e suspeitou que o marido pudesse mesmo estar entre as vítimas. Ficou desesperada ao ver o corpo na praia. O casal tem um filho de 15 anos.

A segunda vítima a ser identificada foi o gari comunitário Raimundo Severino da Silva, de 60 anos.

Com informações do Estadão Conteúdo

Deixe uma resposta