Candidata a lista sêxtupla para Desembargador do TRT visita Petrolina em busca de apoio

Roberta TRT

A OAB-PE realiza no próximo dia 26 de fevereiro (sexta-feira), a eleição para escolha da lista sêxtupla de candidatos ao cargo de Desembargador do Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Para reforçar seu nome no Estado a postulante à lista Dra. Roberta Pontes Caúla, está visitando algumas cidades da Região Metropolitana do Recife (RMR) e interior de Pernambuco. Nesta terça-feira, 02, ela esteve em Petrolina divulgando sua candidatura junto aos colegas advogados da cidade.

Em visita ao Blog Waldiney Passos, Dra. Roberta falou da pretensão de conquistar uma vaga na lista e pleitear o cargo de Desembargadora do TRT. Ela disse enfrentar o desafio com muita responsabilidade e chamou a atenção dos colegas de profissão para que analisem bem a importância do pleito. “Se o advogado reclama que o Tribunal está se posicionando de determinada maneira, tem um determinado entendimento que ele não gosta, não concorda, então essa é a oportunidade dele pautar o entendimento do Tribunal, ou seja, conseguir colocar uma pessoa, independente de quem seja, mas que tenha um determinado tipo de pensamento, isso vai evidentemente fazer com que o Tribunal tenha lá dentro esse pensamento”, enfatizou.

Outro ponto destacado pela candidata foi a questão de se colocar no Tribunal uma pessoa que vivencia as dificuldades que a advocacia tem no dia a dia. “Quando Desembargador (a) essa pessoa vai ter a experiência e saber as reais dificuldades encontradas pelo advogado dentro do Tribunal”, observou.

Quinto Constitucional

Previsto no Artigo 94 da Constituição da República Federativa do Brasil é um dispositivo que prevê que 1/5 (um quinto, ou seja, 20%) dos membros de determinados tribunais brasileiros seja composto por advogados em lugar de juízes de carreira. Para tanto, os candidatos integrantes precisam ter, no mínimo, dez anos de carreira (“exercício profissional” no caso dos advogados) e reputação ilibada, além de notório saber jurídico para os advogados.

A Ordem dos Advogados do Brasil formará uma lista sêxtupla, em consulta eleitoral democrática, para enviá-la ao Tribunal onde ocorreu a vaga de desembargador. Este tribunal, após votação interna para a formação de uma lista tríplice, a remete ao chefe do Poder Executivo, neste caso, por se tratar de um Tribunal Federal, a presidente da república.

A Eleição que vai compor a lista sêxtupla do Quinto Constitucional vai acontecer dia 26 de fevereiro. Os advogados em dias com a OAB poderão votar

 

Deixe uma resposta