‘Canibais de Garanhuns’ vão a júri popular nesta sexta

O trio é acusado pelas mortes de Alexandra da Silva Falcão, na época com 20 anos, e Gisele Helena da Silva, 31, no município de Garanhuns. (Foto: Arquivo/Folha de Pernambuco)

Os três acusados de assassinatos em série e canibalismo no município de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, que ficaram conhecidos mundialmente, irão a júri popular novamente, nesta sexta-feira (23).

Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Torreão Pires e Bruna Cristina Oliveira da Silva serão julgados pelas mortes de duas mulheres, em 2012. Desde a revelação do crime, eles ficaram conhecidos como os “Canibais de Garanhuns”.

Está é a segunda vez que o trio ocupa o banco dos réus num júri popular. No ano de 2014, eles foram condenados pela morte de Jéssica Camila da Silva Pereira, 17 anos – morta em Rio Doce, Olinda, Grande Recife, no ano de 2008.

O assassinato da adolescente foi descoberto quatro anos depois e, segundo a polícia, teve os mesmos requintes de crueldade do duplo homicídio registrado no Agreste pernambucano.

Nesse julgamento, Jorge foi condenado a 23 anos de prisão. Já Isabel e Bruna receberam penas de 20 anos, cada uma. Todos continuam presos.

O júri, composto por sete jurados, acontece no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na área central do Recife. A expectativa é de que a sentença seja anunciada no mesmo dia. De acordo com a denúncia, as vítimas Alexandra Falcão da Silva, 20 anos, e Giselly Helena da Silva, 31, foram atraídas para a casa dos acusados com a promessa de que iriam trabalhar como babás. Os crimes aconteceram em meses diferentes. Elas foram assassinadas, esquartejadas e partes das carnes das coxas, pernas, braços, nádegas e fígado foram retiradas e consumidas. Os restos mortais foram enterrados no quintal.

Com carne humana

Na decisão que levou o trio a júri popular, a juíza de Garanhuns, Pollyanna Maria Barbosa Cotrim, destacou que os acusados confessaram que “parte (da carne humana) foi utilizada na confecção de empadas e coxinhas que foram vendidas em diversas partes desta cidade, inclusive neste Fórum”. Jorge, Isabel e Bruna respondem por duplo homicídio triplamente qualificado – motivo torpe, emprego de meio cruel e emboscada, ocultação e vilipêndio de cadáver.

Fonte JCOnline

Deixe uma resposta