Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Cantor juazeirense Alan Cleber sacudiu os foliões do Polo Orla na última noite do Carnaval de Petrolina

Alan Cleber. (Foto: ASCOM)

Um dos mais procurados do Carnaval de Petrolina (PE), o Polo Orla reuniu artistas de todos os estilos nos quatro dias de folia. Na última noite, nesta terça-feira (13), mais uma mistura de ritmos que agradou.

O grupo Samba de Mezza, foi o primeiro a se apresentar e esquentou o público com muito pagode e samba. O segundo show da noite foi do cantor juazeirense Alan Cleber. Performático, o artista levou ao palco uma homenagem ao Rio São Francisco e um repertório com músicas do axé ao frevo.

Esbanjando energia, contagiou a plateia com seu jeito irreverente e sacudiu a multidão. “Foi um belíssimo espetáculo. A alegria e a energia de Petrolina são mágicas e o show foi belíssimo fiquei muito feliz em presenciar todo mundo cantando e se divertindo”, pontuou o artista.

Houve espaço ainda para o axé da banda Voa Voa, que aproveitou a oportunidade para gravar seu DVD, com músicas em homenagem à banda baiana Chiclete com Banana. Encerrando a festa, o cantor Jonatas Araújo apostou em um repertorio eclético com grandes sucessos atuais.

LEIA TAMBÉM

Blocos de chão foram os primeiros a se apresentar na última noite do Carnaval de Petrolina

A prefeita em exercício, Luska Portela, avaliou de forma positiva os dias de folia. “Fizemos um excelente Carnaval. Mesmo sem o apoio do Governo do Estado, Petrolina mostrou que sabe fazer uma festa que agradou a todos e a gestão do prefeito Miguel Coelho fez todo esforço, junto com a equipe da Secretaria de Cultura, para realizar essa festa que valorizou os artistas locais e, principalmente, a alegria do seu povo. Foi uma festa da família”, destacou.

O Matingueiros, mais novo polo oficial do Carnaval de Petrolina, também atraiu um grande número de foliões para a área da Petrolina Antiga. De acordo com Wagner Miranda, fundador do grupo cultural e coordenador do polo, o espaço já está consolidado como uma alternativa real dentro da programação carnavalesca da cidade.

“Avaliamos de forma bastante positiva, pois percebemos que exista uma necessidade grande de preencher essa lacuna do público mais alternativo, que curte outros ritmos, a exemplo do rock e conseguimos”, ressaltou.

Deixe uma resposta