Caso Beatriz: “O que se tem feito para prender Alisson?”, questiona Sandro Romilton

Família de Beatriz cobra respostas sobre morte da garota (Foto: Blog Waldiney Passos)

O Caso Beatriz voltou a ser destaque na imprensa local nessa semana, novamente tendo Alisson Henrique de Carvalho no centro das atenções. O ex-funcionário do Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora é suspeito de apagar imagens das câmeras de segurança no dia em que Beatriz Angélica Mota foi morta, em 2015 e segue foragido.

LEIA TAMBÉM:

Caso Beatriz: “A impressão que eu tenho é que não estão fazendo é nada”, desabafa Lucinha Mota

Na quinta-feira (18) os pais de Beatriz receberam informações sobre a possível localização de Alisson. A Polícia Civil de Pernambuco, no entanto, não conseguiu localizá-lo na residência. A atuação da instituição de segurança foi criticada pelos pais da garota, conforme mostramos ontem.

Pai de Beatriz, Sandro Romilton conversou com o Blog Waldiney Passos e voltou a questionar a capacidade da Polícia Civil em continuar à frente do caso que completará quatro anos em dezembro.

“Alisson está foragido há mais de seis meses, qual o plano da Polícia? O que se tem feito para prender Alisson? Nem o básico a polícia tem, eu quero saber qual o artifício eles têm, a gente quer saber como a nossa família pode contribuir”, disse.

Na manhã de ontem (19) Sandro e Lucinha foram para a frente do Batalhão da Polícia Militar, onde está localizada a Delegacia Seccional da Civil cobrar respostas, mas ninguém recebeu a família.

É inadmissível, era uma pessoa que era reconhecida na cidade e de repente desaparece e ninguém nunca mais encontra. O que se está fazendo efetivamente?”, conclui o pai de Beatriz.

Deixe uma resposta