Casos de violência contra a mulher são maiores no interior de Pernambuco

(Foto: Ilustração)

O Dia Internacional da Mulher, celebrado nessa sexta-feira (8) remete às conquistas sócio-políticas delas, mas também é um momento de reflexão. Em Pernambuco a data representa para o Poder Público um grande desafio, já que em 2018 os dados da violência contra esse grupo foram preocupantes.

De acordo com o monitoramento realizado pela secretaria de Defesa Social, no ano passado foram contabilizados 36.314 casos de violência doméstica e 2.522 ocorrências de estupro em todo Estado. O interior lidera negativamente e teve 18.074 ocorrências de violência doméstica e outros 1.371 de estupro.

Petrolina e municípios vizinhos

Petrolina terminou 2018 com 1.949 registros de violência doméstica – praticada por companheiro, cônjuge, filho ou parente da vítima. Araripina somou 315, Salgueiro 353, Lagoa Grande 61 e Ouricuri 186. Em relação aos casos de estupro, Petrolina teve 77, Araripina 19, Ouricuri somou 12 e Salgueiro 13.

DEAM atende não apenas demandas contra a mulher (Foto: Blog Waldiney Passos)

O trabalho da Polícia Civil

Na região há apenas uma Delegacia Especializada de Assistência à Mulher (DEAM), localizada em Petrolina, no Centro da cidade. A unidade funciona das 8h às 18h, durante a semana, deixando as vítimas desassistidas aos finais de semana, período no qual há aumento das ocorrências.

Apesar dos obstáculos, a delegada Isabela Cabral destaca a importância de as vítimas acionarem as autoridades. “A Delegacia da Mulher tem um papel importante no combate aos crimes. O Dique Denúncia [180] tem uma importância [no trabalho da polícia], é importante denunciar, a gente recebe denúncias de maus tratos, violência sexual, alguns crimes de lesão. Sempre que a gente recebe vamos às investigações para apurar e comprovado, abrimos um inquérito”, explicou a delegada.

Apoio às vítimas

Formando a rede de enfrentamento à violência contra as mulheres, Petrolina conta com um Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) que presta atendimentos psicológicos, sociais, orientação jurídica e faz visita domiciliar.

“O serviço é de porta abeta e qualquer mulher pode procurar o serviço. Nas segundas-feiras ocorre o Plantão Mulher, onde a equipe fica disponível para o atendimento emergencial, ou seja, sem qualquer agendamento prévio“, informou a secretaria executiva da Mulher. O CEAM funciona das 7h às 13h, próximo ao Parque Municipal Josepha Coelho.

Deixe uma resposta