Bolsonaro volta a lançar desconfiança sobre a Coronavac e prega tratamento precoce

(Foto: Internet)

Ignorando o que dizem autoridades de saúde em todo o mundo, inclusive a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a insistir no “tratamento precoce” contra a Covid-19.

“Não desistam do tratamento precoce. Não desistam, tá? A vacina é para quem não pegou ainda. E esta vacina que está aí é 50% de eficácia. Ou seja, se jogar uma moedinha para cima, é 50% de eficácia. Então, está liberada a aplicação no Brasil”, disse Bolsonaro a apoiadores em vídeo compartilhado pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) em seu canal no Telegram, aplicativo de mensagens que virou queridinho da direita nos últimos dias.

Um de seus apoiadores perguntou ao presidente se a vacina seria obrigatória. Bolsonaro pôs em dúvida a eficiência da Coronavac, vacina que está sendo utilizada no início da imunização no Brasil e que, junto com a vacina de Oxford, teve uso emergencial autorizado pela Anvisa no domingo (17).

“No que depender de mim, não será obrigatória. É uma vacina emergencial, 50% de eficácia. É algo que ninguém sabe ainda se teremos efeitos colaterais ou não”, afirmou.

Com informações da Folhapress

“O importante é que comece hoje”, afirma Pazuello sobre vacinação no país

Ontem a Anvisa autorizou o uso emergencial da CoronaVac e da AstraZeneca (Foto: Dado Ruvic/Reuters)

A segunda-feira (18) começou com a cerimônia da entrega simbólica das primeiras doses da CoronaVac. A ação coordenada pelo Governo Federal marca o início oficial da campanha nacional de imunização. Entretanto, desde a tarde de ontem o Governo de São Paulo já imuniza profissionais da saúde.

LEIA TAMBÉM

“Petrolina está 100% pronta para iniciar a vacinação da população”, afirma Miguel Coelho

URGENTE: por unanimidade Anvisa aprova uso emergencial das vacinas contra a covid-19

Segundo o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a expectativa é que os estados comecem a receber as doses enviadas pelo Governo Federal ainda nessa segunda, no turno da tarde. Nesse primeiro momento as doses foram distribuídas de forma proporcional.

“Fica combinado que a gente distribui tudo hoje e começa [a vacinação] ao final do dia, em princípio, às 17h. A gente marca não antes das 17h, mas se alguém tiver delongas, faz parte da missão“, disse o ministro. “Quem puder, começa às 18h, mas o importante é que comece hoje, ao final do dia. Esse é nosso combinado”, continuou Pazuello.

LEIA MAIS

Enem 2020: 51,5% dos inscritos no Enem não comparecem ao exame

(Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 tem abstenção de 51,5% dos candidatos inscritos, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Do total de 5.523.029 inscritos para a versão impressa do Enem, que começou a ser aplicada ontem (17), 2.842.332 faltaram às provas.

Segundo o ministro da Educação, Milton Ribeiro, a abstenção recorde se deve principalmente ao medo da pandemia e a campanhas contrárias à realização do exame. Apesar disso, considera a aplicação vitoriosa. No ano passado, a abstenção no primeiro dia do Enem foi 23%.

LEIA MAIS

Vacinação contra covid-19 começa na quarta-feira, anuncia Pazuello

(Foto: Dado Ruvic/Reuters)

A vacinação contra a covid-19 começa na próxima quarta-feira (20), às 10h, em todo o país, para os grupos prioritários. O anúncio foi feito neste domingo (17), pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante coletiva no Rio de Janeiro.

Segundo o ministro, serão inicialmente 3 milhões de pessoas a serem vacinadas, com duas doses cada uma, totalizando 6 milhões de doses da CoronaVac, produzida pela empresa chinesa Sinovac e o Instituto Butantan. O uso emergencial da CoronaVac foi aprovado hoje (17) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O ministro abriu a coletiva se solidarizando com as famílias das vítimas e agradecendo aos profissionais de saúde na linha de frente da pandemia.

URGENTE: por unanimidade Anvisa aprova uso emergencial das vacinas contra a covid-19

Por unanimidade os diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovaram, nesse domingo (17), o uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford/AstraZeneca. A reunião que decidiu positivamente a favor dos imunizantes começou às 10h e se estendeu até 15h22.

Inicialmente o corpo técnico da Anvisa já havia feito um parecer sobre as duas vacinas, que no Brasil são produzidas pelo Instituto Butantan (CoronaVac) e Fiocruz (Oxford). Os diretores votaram um a um e por volta de 14h50 já havia uma maioria de 3×0 a favor do uso emergencial.

Romison Mota, Cristiane Rose, Antonio Barra Torres, Meiruze Sousa e Alex Machado foram os cinco diretores responsáveis pela decisão. Nas justificativas alguns destacaram a importância da ciência, criticaram a propagação de um suposto tratamento precoce e elogiaram o trabalho dos jornalistas durante a pandemia com a criação do Consórcio dos Veículos de Imprensa.

O último voto ficou por conta do diretor-presidente do órgão, Antônio Barra Torres. “Me dirijo ao cidadão brasileiro que agora nos assiste para lembrar que a imunidade de vacinação leva um tempo para se estabelecer. Mesmo vacinado, siga o distanciamento e o uso de máscaras. Confie nas vacinas que a Anvisa certifique, se vacine“, afirmou.

Reunião da Anvisa avalia uso emergencial de vacinas contra a covid

(Foto: Dado Ruvic/Reuters)

Domingo, 17 de janeiro de 2021. A data de hoje pode marcar um importante passo no combate a covid-19 no Brasil. Logo mais às 10h a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) analisa os pedidos de uso emergencial de dois imunizantes: a vacina de Oxford/AstraZeneca e a CoronaVac.

A decisão está nas mãos de cinco integrantes da diretoria colegiada do órgão serão os responsáveis por tomar a decisão. Todos foram nomeados pelo presidente Jair Bolsonaro. A reunião de hoje será transmitida ao vivo e pode ter duração média de cinco horas.

Os diretores vão analisar os pareceres elaborados por três áreas técnicas, que levam em conta três pontos: registro de medicamentos, certificação de boas práticas de fabricação e farmacovigilância de medicamentos (monitoramento do produto no mercado).

Romison Mota, Cristiane Rose, Antonio Barra Torres, Meiruze Sousa e Alex Machado são os diretores responsáveis pela decisão. Caso haja alguma sinalização positiva, a vacinação contra a covid pode começar já nesta semana, levando em conta os grupos prioritários.

Defensoria Pública da União entra com pedido de anulação do Enem

(Foto: Dvulgação)

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pode não acontecer neste domingo (17). A Defensoria Pública da União entrou nesse sábado (16) com um pedido de anulação da decisão que manteve as datas do exame de 2021.

A DPU alega que o próprio Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) informou não ter como garantir o cumprimento dos protocolos sanitários criados por eles mesmos e “ainda induziram a Justiça Federal da 3ª Região a erro.

Uma das preocupações é a superlotação das unidades onde as provas serão aplicadas. Essa não é primeira contestação do órgão. “Na maioria desses casos, a ocupação é de cerca de 80%, muito acima de um número prometido. Esperamos que a decisão seja revertida ou fundamentada de outro modo”, disse ao Estadão o defensor João Paulo Dorini.

Desde a divulgação do cronograma a Defensoria apontou problemas, como a desigualdade educacional promovida pelo distanciamento dos alunos e a falta de condições aos mais carentes, a exemplo do acesso a internet.

Hospitais da Ebserh recebem pacientes de Manaus

Primeiros pacientes chegaram na sexta-feira (Foto: Divulgação)

O caos em Manaus resultou na transferência de vários pacientes com covid-19 a hospitais federais. E diversas unidades da Rede Ebserh estão dando suporte no tratamento. Entre eles, o da Universidade Federal do Piauí e da Federal do Maranhã.

Entre a tarde e noite de sexta-feira (15), 21 pacientes chegaram de Manaus. Vale lembrar que a Ebserh é a mesma administradora do HU da Univasf. Entretanto, a unidade petrolinense não chegou a receber os infectados de Manaus.

“As pessoas internadas, tanto em Manaus quanto nos outros locais, terão todo o atendimento necessário e tudo o que for possível será feito para que voltem bem para suas casas”, disse o presidente da Rede Ebserh, Oswaldo Ferreira.

O Ministério da Educação (MEC) já prepara outras unidades da Ebserh. São elas Hospital Universitário Onofre Lopes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (HUOL-UFRN/Ebserh), em Natal (RN), no Hospital Universitário de Brasília da Universidade de Brasília (HUB-UnB/Ebserh), no Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba (HULW-UFPB/Ebserh), em João Pessoas (PB), no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiânia (HC-UFG/Ebserh), no Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará (HUWC-UFC/Ebserh), em Fortaleza (CE), no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC-UFPE/Ebserh), no Recife (PE) e no Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes da Universidade Federal de Alagoas (HUPAA-UFAL/Ebserh), em Maceió (AL).

Governo Federal solicita doses da CoronaVac

(Foto: Aloisio Mauricio/Estadão Conteúdo)

Entre idas e vindas sobre as vacinas contra o novo coronavírus, o Governo Federal solicitou na sexta-feira (15) seis milhões de dose da CoronaVac ao Instituto Butantan. O órgão paulista respondeu positivamente e confirmou ao Ministério da Saúde que cederá o imunizante.

Esse é mais um capítulo na novela “vacinação no Brasil”. Vale destacar que a CoronaVac vem sendo constantemente criticada pelo próprio presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partida), que desdenhou dos dados apresentados pelo Butatan em relação à eficácia do imunizante.

No entanto, após falhar na aquisição de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca, produzida na Índia, o Ministério da Saúde se viu obrigado a recorrer ao Butantan. A CoronaVac é desenvolvida em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac e chegou a ser apelidada pelo grupo do presidente Bolsonaro de “VaChina”.

O próximo passo na novela é a reunião da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que acontece neste domingo (17). A expectativa é pelo anúncio da liberação ou não das vacinas CoronaVac e da AstraZeneca.

‘Ninguém vai ser obrigado a tomar vacina’, diz Bolsonaro sobre imunização contra covid-19

O presidente Jair Bolsonaro, fala à imprensa no Palácio da Alvorada

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a rearmar sua posição contrária à obrigatoriedade da vacina contra a covid-19. Na live desta quinta-feira (14), o presidente armou que “ninguém vai ser obrigado a tomar vacina“.

A vacina é de graça e, no que depender, de nós, voluntária. Ninguém vai ser obrigado a tomar vacina. Se não quiser tomar, não tome, é um direito seu! Anal de contas, é algo emergencial, não temos comprovação“, disse Bolsonaro.

Covid-19: Ministério da Saúde alerta sobre golpes ligados a vacinação

(Foto: Dado Ruvic/Reuters)

Com a perspectiva do início da vacinação contra a covid-19 nas próximas semanas, o Ministério da Saúde tomou conhecimento de tentativas de golpes pelo celular utilizando este processo como pretexto para lesar cidadãos.

Sobre o tema, a pasta divulgou nota ontem (14) alertando para essas iniciativas e reiterando que não faz agendamento de vacinação, não solicita dados das pessoas nem envia quaisquer tipos de códigos para usuários do sistema de saúde.

Se alguém receber ligações ou mensagens pelo celular com esta promessa e solicitando dados pessoais ou outras informações, a orientação do Ministério da Saúde é que a pessoa não forneça qualquer dado e denuncie a autoridades competentes.

LEIA MAIS

Nascidos em julho podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje

Cerca de 3,4 milhões de beneficiários do auxílio emergencial e do auxílio emergencial extensão nascidos em julho poderão sacar a última parcela do benefício a partir desta sexta-feira (15). Eles poderão sacar ou transferir os recursos da conta poupança social digital. Foram creditados cerca de R$ 2,4 bilhões para esse público nos ciclos 5 e 6 de pagamentos.

Desse total, cerca R$ 2,2 bilhões são referentes às parcelas do auxílio emergencial extensão e o restante, cerca de R$ 200 milhões, às parcelas do auxílio emergencial.

LEIA MAIS

Governo vai antecipar 13º do INSS e abono salarial

O governo federal já decidiu que vai antecipar o pagamento do 13º salário de aposentados e pensionistas neste ano. O pagamento do abono salarial também será antecipado.

A medida estava em estudo como forma de compensar o fim do auxílio emergencial, programa por meio do qual o governo injetou R$ 254 bilhões na economia, desembolsando recursos para 66,4 milhões de pessoas.

LEIA MAIS

Eleições 2020: termina hoje prazo para justificar ausência no 1º turno

(Foto: Ilustração)

O eleitor que não compareceu às urnas no primeiro turno das eleições municipais de novembro tem até esta quinta-feira (14) para justificar a ausência. Caso o procedimento não seja realizado, será preciso pagar uma multa. Quem não regularizar a situação pode ficar sujeito a restrições. Para o segundo turno, o limite é 28 de janeiro.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recomenda que a justificativa seja feita, preferencialmente, por meio do aplicativo e-Título, disponível para celulares com sistemas operacionais Android ou iOS.

O procedimento pode ser feito também pela internet, em um computador, por meio do Sistema Justifica. Ou ainda de modo presencial, no Cartório Eleitoral. Em todo caso, o eleitor precisará preencher um Requerimento de Justificativa Eleitoral (RJE), descrevendo porque não votou. O TSE pede que seja anexada documentação que comprove a razão da falta.

LEIA MAIS

Vacinação começará ao mesmo tempo em todos os estados, diz ministério

(Foto: Dado Ruvic/Reuters)

O Ministério da Saúde informou nessa quarta-feira (13), durante coletiva de imprensa, que a vacinação contra a covid-19 deverá começar simultaneamente em todos os estados do país. Segundo o secretário-executivo da pasta, Élcio Franco, os imunizantes devem ser distribuídos assim que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) validar o uso emergencial.

A reunião da Anvisa que vai bater o martelo sobre os pedidos do Instituto Butantan, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceira com o consórcio Astrazeneca/Oxford, será realizada no próximo domingo (17). 

LEIA MAIS
123