Petrolina: Prodecon notifica cerca de 10 estabelecimentos que cobram por embalagens de alimentos

(Foto: Ascom/PMP)

Estabelecimentos que fazem serviços delivery não podem cobrar taxa de embalagem. A prática se configura como prática abusiva. Por conta disso, o Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) já notificou cerca de 10 estabelecimentos de Petrolina e faz um alerta para que as empresas suspendam a prática abusiva para evitar sanções.

De acordo com o diretor do Prodecon, Hélder Gomes, algumas empresas costumam repassar aos clientes os custos que têm com a compra de embalagens, o que vai contra o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor, por colocar o consumidor em desvantagem e favorecer apenas os estabelecimentos.

Ao cobrar pela embalagem, o estabelecimento repassa ao cliente o custo do negócio, uma vez que este já pagou pelo produto. Quando isso acontecer, o ideal é que o consumidor contate o fornecedor e conteste o valor cobrado pela embalagem.

Os consumidores que encontrarem alguma situação de cobrança abusiva podem entrar em contato com o Prodecon através do número 3861-3066 (WhatsApp). O atendimento presencial na sede do Prodecon no Centro de Convenções permanece das 8h às 12h.

Confira os preços dos produtos comercializados no mercado do produtor de Juazeiro

Depois do final de semana prolongado, o consumidor pode aproveitar para comprar caju no Mercado do Produtor de Juazeiro a R$ 70,00 a caixa com 20kg. Quem preferir pode comprar no quilo ao valor de R$ 3,50. O 4º maior entreposto em volume de comercialização do país funciona de segunda à sexta-feira das 2h da madrugada às 22h e aos sábados até às 17h.

Confira abaixo a cotação completa dos produtos comercializados no Mercado do Produtor. Os preços são resultado de uma pesquisa diária feita no comércio atacadista do Ceasa municipal.

Cotação 13 De Outubro

Compesa lança programa para renegociação de dívidas

A partir dessa quinta-feira (1°) a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) inicia uma ação inédita. Consumidores em débito poderão renegociar os valores através do programa “Quita Fácil”. Em alguns casos, os descontos ofertados poderão chegar a 90% e outra opção é o parcelamento no cartão de crédito.

A renegociação pode ser feita de forma presencial ou através dos canais digitais e telefone. Depois do contato inicial, dentro do prazo de 24h a Compesa enviará uma proposta e analisar como será feito o pagamento da dívida.

Segundo a Compesa, o programa foi criado como uma solução rápida de recuperação de crédito. Ou seja, é vantajosa aos dois lados, empresa e consumidor. “A ação surge com oportunidades únicas de adimplência para os clientes Compesa encerrarem o ano sem pendências com a empresa”, explica o diretor de Mercado e Atendimento, Carlos Júnior.

Compesa não pode interromper fornecimento de água durante o período de emergência de saúde

(Foto: Ilustração)

A Companhia Pernambucana de Saneamento de Água (Compesa) não pode mais suspender fornecimento de água dos consumidores residenciais por inadimplência ao longo do período de emergência de saúde relativo à transmissão do novo coronavírus (Covid-19).

A decisão, em caráter liminar, foi assinada e determinada pela 33ª Vara Cível da Capital nesta quarta (25) e atende a pedido da Defensoria Pública do Estado, em ação civil pública.

LEIA MAIS

Caixa Econômica Federal reduz taxas de juros e possibilita pausa no pagamento de dívidas

(Foto: Ascom)

A Caixa Econômica Federal anunciou, nesta quinta-feira (19), novas medidas de apoio à economia do país, com o objetivo de reduzir os impactos frente ao cenário de queda no índice de produtividade e diminuição da atividade econômica causados pela pandemia da Covid-19. O banco determinou a redução de até 23% nas taxas de juros para empréstimos e concedeu uma pausa de dois meses no pagamento de contratos de crédito vigentes para pessoas físicas e empresas. A medida também vale para financiamentos habitacionais. Os interessados em contrair novos empréstimos terão taxas menores e uma carência de seis meses.

O presidente do banco, Pedro Guimarães, disse que o plano visa tentar reduzir o impacto causado pelo coronavírus na economia. Para isso, serão R$ 78 bilhões a mais disponibilizados para novos empréstimos.

Desse total, R$ 3 bilhões foram destinados a linhas de crédito para hospitais e Santas Casas que atendem pela rede do SUS (Sistema Único de Saúde). O dinheiro, nesse caso, pode ser usado até para pagamento de dívidas pendentes, uma forma de liberar o caixa desses hospitais para despesas necessárias ao atendimento de casos de pacientes infectados pelo vírus.

Tanto pessoas físicas quanto empresas poderão postergar o pagamento de operações de crédito vigentes por dois meses. O benefício passa a valer a partir de segunda-feira (23) e cobre o consignado, empréstimos pessoais (CDC), capital de giro e renegociação. O consignado para aposentados e pensionistas do INSS foi ampliado e as taxas, reduzidas.

“Essa é uma crise mundial [provocada pelo novo coronavírus]. Vamos conceder dois meses, mas, se for preciso, passaremos para 90 dias, 120 dias. A Caixa é o banco com mais liquidez no mercado, e vamos reagir caso seja necessário”, disse Guimarães em uma live da Caixa transmitida na manhã desta segunda-feira.

LEIA MAIS

Clientes do cinco maiores bancos podem pedir prorrogação de dívidas

(Foto: Ilustração)

Clientes pessoas físicas ou micro e pequenas empresas dos cinco maiores bancos do país podem pedir prorrogação, por até 60 dias, dos vencimentos de dívidas. A medida não vale para cheque especial e cartão de crédito. A renegociação de dívidas foi autorizada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), no último dia 16.

O conselho facilitou a renegociação de operações de créditos de empresas e de famílias que possuem boa capacidade financeira e mantêm operações regulares e adimplentes ativas, permitindo ajustes de seus fluxos de caixa. A medida dispensa os bancos de aumentarem o provisionamento (reserva de valor) no caso de repactuação de operações de crédito que sejam realizadas nos próximos seis meses.

LEIA MAIS

Serasa dá início ao Feirão e renegocia dívidas com desconto de até 98%

(Foto: Ilustração)

Até o fim do mês, as pessoas físicas e microempreendedores endividados terão a oportunidade de renegociar dívidas no Serasa com desconto de até 98%. O feirão Serasa Limpa Nome oferece a renegociação pela internet, pelo smartphone e, nos escritórios da Serasa em todo o país.

Os devedores podem pedir a renegociação no site ou no aplicativo Serasa Consumidor, disponível para os dispositivos dos sistemas iOS, da Apple, e Android, do Google. Segundo o diretor da Serasa Consumidor, Giresse Contini, não há distinção nas negociações pedidas pessoalmente ou a distância, portanto não é necessária uma corrida aos postos de atendimento.

“Quem pede a renegociação no site ou no aplicativo terá as mesmas condições que se pedir presencialmente num escritório da Serasa”, explica Contini. “Muitas vezes, o cliente será atendido mais rapidamente pelas ferramentas eletrônicas do que no atendimento presencial, onde pode enfrentar filas.”

LEIA MAIS

Portal que atende consumidor registrou 780 mil reclamações em 2019

(Foto: Ilustração)

Criado com o objetivo de facilitar a interlocução direta entre consumidores e empresas para a solução de conflitos, o portal consumidor.gov.br recebeu 780 mil reclamações em 2019. Desse total, 81% foram solucionados. O prazo médio para que alguma resposta fosse apresentada foi de até 6,5 dias.

No mesmo ano, os Procons cadastrados no Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec) fizeram mais de 2,5 milhões de atendimentos, e apresentaram um índice de solução de 76,5%.

Os dados constam do boletim Consumidor em Números, divulgado hoje (10) pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça.

A exemplo do que ocorreu em anos anteriores, o setor de telecomunicações foi o que gerou maior número de reclamações apresentadas pelos consumidores, abrangendo quase 40% do total de demandas na plataforma.

LEIA MAIS

Procon-PE constata aumento de preços de produtos nas farmácias por causa do coronavírus

(Foto: Internet)

Diante do cenário de temor que as pessoas estão tendo, contra o coronavírus, o Procon-PE fez uma pesquisa, e constatou que o álcool em gel aumentou 53% e máscaras aumentaram 100,80%. Na última quinta-feira (27), a fiscalização passou por oito estabelecimentos, da Região Metropolitana do Recife, a partir da demanda de denúncias feitas por consumidores.

Nas farmácias e distribuidoras que o Procon-PE passou no Centro do Recife o menor preço do álcool em gel foi de R$10, já o maior, custava R$15. Em alguns estabelecimentos está sendo limitada a compra de duas unidades por cada Cadastro Nacional de Pessoa Física (CPF).

“Quem regula o preço dos produtos é o mercado. Estamos aqui para fazer o levantamento de preço e dar possibilidades aos consumidores”, disse Jonas Souza, Chefe de Fiscalização do Procon-PE. Ele ainda recomendou que os consumidores façam pesquisas antes de adquirir os produtos.

LEIA MAIS

Feirão Limpa Nome: consumidores com contas em atraso podem negociar e quitar suas dívidas com descontos de até 98%

(Foto: Ilustração)

Começou hoje (27) o Feirão Limpa Nome do Serasa. A iniciativa que termina no dia 31 de março é uma oportunidade para ajudar consumidores com contas atrasadas a negociar e quitar suas dívidas.

De acordo com o Serasa, os descontos podem chegar a até 98%. Participam do Feirão mais de 30 empresas, entre companhias telefônicas, bancos e lojas.

LEIA MAIS

Intenção de consumo das famílias sobe em fevereiro, diz CNC

(Foto: Ilustração)

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF), calculada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), atingiu 99,3 pontos em fevereiro de 2020.

De acordo com a entidade, é o maior nível desde abril de 2015, último mês em que o índice esteve no patamar de satisfação que é acima de 100 pontos. Ainda conforme a CNC, o resultado também é o melhor para um mês de fevereiro em cinco anos.

LEIA MAIS

Inadimplência abre o ano com menor crescimento em uma década

(Foto: Ilustração)

A inadimplência do consumidor segue bem-comportada neste início de ano. Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que o volume de consumidores com contas em atraso cresceu 1,38% em janeiro deste ano na comparação com igual período do ano passado. Apesar da alta, trata-se da segunda menor variação para os meses de janeiro em 10 anos de série histórica. Considerando esse período, apenas em janeiro de 2017 houve um crescimento tão fraco, quando a alta havia sido de 0,84%. Nos demais anos, os crescimentos foram sempre mais expressivos do que o verificado agora em 2020.

LEIA MAIS

Conta de luz não terá cobrança extra em fevereiro, diz Aneel

(Foto: Arquivo)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou na última sexta-feira (31), que a bandeira tarifária no mês de fevereiro será verde, ou seja, não haverá custo extra na conta de luz para os consumidores.

Segundo a Agência, o mês deverá ser chuvoso nas áreas onde estão localizados os principais reservatórios das hidrelétricas e o custo de geração de energia será menor. Dessa forma, não haverá necessidade de acionamento das usinas termoelétricas, que custam mais para gerar energia.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico (GSF, na sigla em inglês) e o preço da energia (PLD).

Alerta: número de golpes do boleto falso cresce no início do ano

(Foto: Ilustração/Internet)

Geralmente, no início do ano, a maioria das pessoas acumula mais boletos a pagar devido a despesas extras e típicas da época, como impostos, matrícula da escola dos filhos, entre outros. Pensando nisso, o Procon Recife está alerta os consumidores para que não caíam em golpes de boletos falsos.

Esses golpes aumentaram em mais de 55% desde 2018. “Para fazer um pagamento não precisa necessariamente ter conta em banco e muitas pessoas utilizam boletos para quitar as contas. O que a gente orienta o consumidor é para que quando for tirar um boleto pela internet, ele deve manter ativo e atualizado o antivírus do computador. Alguns golpistas utilizam um vírus que aparece na hora que você imprime. Ele modifica a agência e a conta do boleto, fazendo com que o dinheiro não vá para a conta correta”, afirmou a presidente do Procon Recife, Ana Paula Jardim.

De acordo com Ana Paula, a população precisa prestar mais atenção nos sites que emitem os boletos, mas o primeiro passo é ter um bom antivírus no computador, para evitar problemas. Ela recomenda que as pessoas utilizem ferramentas como a Nova Plataforma de Cobrança (NPC), desenvolvida pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) em parceria com as instituições bancárias, que pode aderir ao Débito Direto Autorizado (DDA). Nele, ao se cadastrar, o cliente recebe a versão eletrônica de todos os boletos emitidos em seu nome.

LEIA MAIS

Confira as dicas do Prodecon Petrolina que vão te ajudar durante compra do material escolar

(Foto: Blog Waldiney Passos)

O período ainda é de férias, mas muitos pais já iniciaram a procura pelo material escolar da garotada. E para ajudar o consumidor de Petrolina, o Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) repassou algumas dicas para evitar que os consumidores tenham seus direitos desrespeitados.

“Os órgãos de defesa do consumidor orientam que os pais comprem apenas itens que sejam usados, exclusivamente, pelos alunos. Ou seja, os pais ou responsáveis não devem efetivar compra de materiais de uso coletivo. O ideal também é que as instituições de ensino apresentem junto à lista de material escolar o plano pedagógico para justificar o motivo daquela solicitação”, explica a a assessora jurídica do Prodecon, Valdene Pedone.

Outra orientação importante é sobre a compra de agendas escolares padronizadas com o calendário de atividades da escola. De acordo com o Prodecon, a compra desse produto deve ser opcional, e os pais ou responsáveis podem solicitar o calendário de atividades por outros meios.

LEIA MAIS
123