Estudantes conquistam 15 medalhas Paralimpíadas Escolares

Paralimpiadas

No último dia de competições das Paralimpíadas Escolares, realizada em Natal, Rio Grande do Norte, os estudantes pernambucanos fizeram história. Na sexta-feira (27/11), os paratletas subiram mais cinco vezes no pódio, e trouxeram na bagagem um total de 15 medalhas.

Depois de serem ouro e prata no arremesso de peso, as irmãs Anecherly Keila (17 anos) e Anerely Kesia (16), da Escola Tabajara, de Olinda, repetiram o feito no lançamento de dardo, classe F43. Mas dessa vez, quem levou a melhor foi a irmã mais nova. Anerely obteve a marca de 20.23m contra os 15.84m de Anecherly e assegurou o primeiro lugar da competição, além de estabelecer o novo recorde da prova.

Aluno da Escola de Referência Professora Margarida de Lima Falcão, em Pesqueira, Jeohsah Bezerra dos Santos conquistou duas medalhas de prata na sexta-feira (27). O estudante, que ganhou uma medalha de ouro no salto em distância na última quinta, conseguiu a primeira prata nos 100m, classe T44, com o tempo de 14seg, quase dois segundos a menos que o vencedor da prova, Matheus Lucas (GO). Em seguida, ao competir no lançamento de dardo, classe F44, ele ficou atrás apenas do paraense José Antônio da Silva. Enquanto o representante do Pará teve em seu melhor lançamento a marca de 24.51m, o pernambucano ficou com 23.03m.

Das 15 medalhas conquistadas para Pernambuco nas Paralimpíadas Escolares, nove foram no atletismo (3 ouros, 5 pratas e 1 bronze), cinco no tênis de mesa (2 ouros, 2 pratas e 1 bronze) e um bronze na natação. Números que superam as 13 medalhas faturadas na edição de 2014 dos jogos, realizada em São Paulo.

 

 

Classificados para a séria A Santa Cruz e Vitória prometem fazer jogo quente hoje a tarde

dee4ea5914a22a700e394514f4e87588

Ao contrário do que se possa imaginar de um duelo entre dois clubes já classificados para a Série A na última rodada do campeonato, Santa Cruz e Vitória devem fazer um jogo quente na tarde deste sábado (28/11). O clássico nordestino vale o vice-campeonato, além da possibilidade de uma possível vaga na Copa Sul-Americana de 2016. Enquanto os pernambucanos virão com força máxima para tentar conquistar o objetivo, os baianos chegam ao Recife sem seis titulares, que foram liberados pela comissão técnica. (FONTE: NE10)

Problemas na segurança da Copa causam apreensão para os Jogos Olímpicos

Falhas de segurança durante a Copa preocupam especialistas, que temem ações terroristas nos Jogos de 2016 no Rio. O risco de protestos violentos, como os que ocorreram no Maracanã, a facilidade para comprar armas e explosivos e o descontrole nas fronteiras são problemas que voltaram à discussão após o atentado em Paris.

download (1)Um relatório da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), produzido depois do evento, apontou outros problemas. O documento, revelado a autoridades responsáveis pela segurança das Olimpíadas no Rio, relacionou, principalmente, brechas na proteção interna dos estádios, que colocaram em risco torcedores e autoridades.

O objetivo de apresentar o relatório foi alertar para o seguinte: os pontos vulneráveis detectados durante o mundial de futebol não podem se repetir nos Jogos. Um dos casos analisados pela Abin aconteceu no dia 18 de junho de 2014: cerca de cem torcedores chilenos e argentinos, sem ingresso, invadiram o Maracanã, causando grande tumulto no centro de mídia do estádio.

A análise da agência levou o governo federal à decisão de mudar parte importante da matriz de segurança aplicada na Copa. Os 15 mil agentes particulares, os chamados stewards, que trabalharam na segurança interna dos estádios e fariam o mesmo durante as Olimpíadas, serão substituídos por policiais da Força Nacional. Também durante o mundial de futebol, muita gente conseguiu burlar a vigilância e assistir às partidas usando credenciais e bilhetes falsos.

919293