“Fora Bolsonaro”: carreata deste sábado reforça pedido de impeachment do presidente

Uma carreta marcada para este sábado (23) reforçará o pedido de impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). O ato de Petrolina está marcado para 9h30, na Orla da cidade. A manifestação é organizada pela União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco (UESPE) e pela Frente Popular.

Segundo a organização local, a carreata será um evento nacional e também está agendado para diversas capitais. Aqui em Petrolina o ponto de encontro é na Porta do Rio, próximo a Haus Bier. “É uma carreata que pede impeachment, também é pela manutenção do Auxílio Emergencial e pela vacina”, explica um dos organizadores, Bruno de Melo.

Bruno é representante do DCE da Univasf, que também está apoiando o ato. “Ele sempre foi contra o uso de máscara e o distanciamento social. Foi contra a mobilização em torno da vacina e por esses tantos motivos a gente convoca a população para participar da nossa carreata. Vai se iniciar na Orla, na descida em frente ao Haus Bier“, comenta.

Lideranças comunitárias se unem para reivindicar melhorias na Transnordestina, em Petrolina

Pai e filha morreram em grave acidente na segunda-feira, 04/01 (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Após mais um acidente com vítimas fatais, moradores fizeram um protesto na Avenida Transnordestina, conhecida como a Via da Morte em Petrolina. Na manhã dessa quarta-feira (6), lideranças comunitárias de bairros vizinhos a avenida chamaram atenção das autoridades.

LEIA TAMBÉM

Duas pessoas morrem em acidente na Transnordestina, em Petrolina

Os manifestantes reivindicam a duplicação da Transnordestina, sinalização horizontal e vertical, melhorias no acostamento e iluminação pública. Estiveram presentes no ano lideranças comunitárias dos bairros Mandacaru, Terras do Sul, Santa Luzia, Nova Petrolina, Dom Avelar, Pedra Linda e Projeto Senador Nilo Coelho – Núcleo 11 (N11).

Covid-19: protesto de músicos em Juazeiro contra decisão do governo baiano repercute na região

Um protesto realizado em Juazeiro (BA) na manhã desta segunda-feira (7), por músicos e artistas da cidade, continua causando repercussão, e não apenas por lá. A categoria não esconde a revolta contra um novo decreto do governo baiano, publicado na semana passada, que voltou a proibir a realização de eventos, públicos ou privados, independentemente do número de participantes, em toda o Estado.

O detalhe é que essa classe foi a última, ou uma das últimas, a voltar com suas atividades, há cerca de três meses, e agora terá de parar novamente. Os profissionais já tinham compromissos agendados, os quais precisaram ser desmarcados. Não é difícil imaginar a revolta, e não apenas dos músicos e artistas juazeirenses.

Em Petrolina, a categoria compartilha do mesmo sentimento, já que o Governo de Pernambuco também editou um decreto semelhante ao da Bahia.

De acordo com os organizadores do protesto que aconteceu em Juazeiro, eles querem apenas ganhar o “pão”, seguindo à risca todos os protocolos pertinentes à prevenção contra o novo coronavírus.

Associação promove “abraço” para cobrar mais espaços públicos no bairro Caminho do Sol

Moradores fazem protesto silencioso (Foto: Brena Souza/Rádio Jornal Petrolina)

Os moradores do Caminho do Sol, em Petrolina, farão um protesto silencioso na tarde desse sábado (21). A comunidade se unirá para um abraço simbólico no terreno onde funcionava o antigo Colégio Motiva. Com o ato de hoje, eles buscam chamar atenção para a necessidade de mais espaços públicas no bairro.

A manifestação é organizada pela Associação de Moradores. A entidade espera que o abraço chame atenção do Poder Público. A partir das 16h30 de hoje, além do abraço os moradores colocarão faixas pedindo agilidade nas demandas da população local.

Sindsemp e Prefeitura se reúnem para debater rateio de recursos destinados a covid

Sexta-feira foi de manifestação na Secretaria de Saúde (Foto: Ascom Sindsemp)

A manhã dessa sexta-feira (20) foi de protestos dos servidores municipais da saúde de Petrolina. Eles foram até a Secretaria de Saúde reivindicar o rateio de recursos destinados ao monitoramento e rastreamento da covid-19. O Sindicato dos Servidores Municipais (Sindsemp) afirma que a gestão recebeu o recurso em outubro desse ano.

Após uma reunião com representantes da Prefeitura, o Sindsemp foi informado que o Poder Executivo está aguardando um parecer técnico do Ministério Público Federal (MPF) e Estadual (MPPE), o que atrasou o rateio com a classe.

Em nota, a Secretaria de Saúde disse que “junto com a Procuradoria Geral do Município, a Secretaria de Saúde está buscando verificar se existe uma forma legal de utilização do recurso, que é de R$ 528 mil, valor pago em parcela única”.

Confira a seguir a resposta da Saúde:

LEIA MAIS

Shopping de Petrolina realiza campanha Natal Presente e prevê crescimento de 10% nas vendas

(Foto: Ascom/River Shopping)

Completando 25 anos em 2020, a decoração natalina do River Shopping remete às bodas de prata do mall. Sob o tema Natal Presente, a fachada e os espaços internos são temáticos. O tradicional túnel, na entrada do shopping, terá arranjos especiais, trazendo a alegria do natal e tornando o espaço instagramável.

Este ano, respeitando as recomendações de distanciamento social, não será realizada a tradicional chegada do papai Noel, mas foi montado um espaço em homenagem ao bom velhinho. Apesar da pandemia, os lojistas estão confiantes, e a expectativa de vendas para este ano é otimista, cerca de 10%, em relação ao mesmo período do ano passado.

E para celebrar, o River lançou a campanha Natal Presente River. A cada R$ 300 em compras, você ganha um número da sorte e irá concorrer a um Nivus Confort 0 km, e quatro Iphones 11 PRO. O cupom pode ser trocado pelo site do River www.rivershopping.com.br na aba da promoção. Os Iphones serão sorteados todas às quartas-feiras do mês de dezembro. Já o carro, será sorteado 06 de janeiro, no River. Os sorteios e os ganhadores serão divulgados nas redes sociais do shopping.

Após manifestação de moradores, Compesa explica situação do abastecimento em Lagoa Grande e Izacolândia

Comunidades estão insatisfeitas com serviço prestado (Foto: Judeir Barbosa)

Moradores do distrito de Izacolândia, em Petrolina e de Lagoa Grande (PE) organizaram uma manifestação na semana passada contra a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Eles denunciam estar sem água há mais de 10 dias e cobraram uma resposta da instituição.

LEIA TAMBÉM

Moradores de Lagoa Grande e Izacolândia organizam protesto contra a Compesa nesta sexta-feira

Em nota, a Compesa disse ter se reunido com integrantes do grupo e explicou a situação. Segundo a Companhia, a “alteração do calendário de abastecimento foi devido às últimas chuvas e consequente danos ao sistema elétrico”. Nesse meio tempo, o abastecimento foi realizado por carros pipa.

“A Compesa reitera que está sempre atenta às necessidades da população de Lagoa Grande e Izacolândia, procurando fazer intervenções nas redes de abastecimento e procurando sanar os problemas que porventura surjam”, ressaltou a instituição.

Ribeirinhos vão à Câmara de Vereadores de Sento Sé cobrar informações sobre mineração

(Foto: CPT Juazeiro)

“SOS rio São Francisco”, “Vida sim, morte não”, “Merecemos respeito”, “A Serra da Bicuda não pode ser destruída”. Essas são algumas das frases estampadas em muitos cartazes e faixas que estavam na Câmara de Vereadores de Sento Sé (BA), na manhã da última quinta-feira (25), durante a reunião dos edis. Cerca de 50 pessoas de comunidades tradicionais ribeirinhas e de fundo de pasto do município foram até o poder legislativo manifestar preocupação com a instalação da Colomi Iron Mineração LTDA e exigir que a população local tenha seus direitos respeitados.

A empresa, que pretende extrair minério de ferro na Serra da Bicuda, possui licenças para instalação e captação subterrânea de água, concedidas pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA), no mês de agosto. Mas, comunidades tradicionais, próximas à Serra, e que serão atingidas caso a mineração seja implantada, afirmam que nunca foram comunicadas oficialmente pela empresa e desconhecem informações sobre o projeto, o que contraria a legislação nesses casos.

LEIA MAIS

Associação de bares e restaurantes de Petrolina quer ampliação de horário de funcionamento

(Foto: ASCOM)

Com horário de funcionamento limitado até às 22h, a Associação de Bares e Restaurantes do Vale do São Francisco (ABERVALE) realiza nesta quarta-feira (23), uma carreata pelas ruas de Petrolina (PE) para pedir a ampliação do horário. E entidade argumenta que a vizinha cidade de Juazeiro, na Bahia, não tem limite de horário para fechar seus estabelecimentos e por causa disso, os empresários do setor, em Petrolina, estão perdendo clientes.

A ABERVALE propõe que a prefeitura de Petrolina estenda o horário de funcionamento pelo menos até a meia noite. De acordo com o presidente da entidade, o Chef Guimarães, um outro problema enfrentado pelos empresários do setor são as multas emitidas pelos fiscais aos estabelecimentos que uma vez ou outra, passam do horário de fechamento.

Ainda segundo ele, a manifestação é pacífica e sairá às 8h30 do Centro de Convenções de Petrolina, passará pelas principais ruas da cidade e Orla com destino a avenida São Francisco, no bairro Areia Branca.

A prefeitura de Petrolina enviou nota informando que “está seguindo as normas do Plano de Convivência com a Covid-19 do Governo do Estado, devido a uma decisão judicial do Tribunal da Justiça de Pernambuco que impediu o município de executar o Plano Municipal de Flexibilização. Lembra ainda que o plano estadual autoriza o funcionamento dos bares e restaurante apenas até às 20h. Contudo, por meio de decreto, a administração municipal conseguiu estender o horário de funcionamento dos bares e restaurantes para às 22h, assim como está funcionando na capital Recife, para atender melhor às especificidades da realidade local”.

Em relação as multas aplicadas, o município explica: “uma vez que existem decretos municipal e estadual em vigência, é dever do cidadão se adequar a eles e é obrigação dos órgãos públicos fiscalizadores fazer cumprir a lei, aplicando, se necessário, as penalidades cabíveis e assegurar a segurança de todos. A prefeitura também destaca que os bons índices de Petrolina no enfrentamento à Covid-19 são resultados da agilidade na adoção das medidas de prevenção ao novo coronavírus e da fiscalização eficiente. Reforça ainda que o objetivo da fiscalização não é impedir o funcionamento dos bares e restaurantes, mas fazer com que ele ocorra seguindo padrões que garantam números seguros de convivência.

Mulheres cobram mais investimentos na Maternidade de Juazeiro

Manifestação foi realizada em frente ao Paço Municipal (Foto: Cortesia)

Um grupo de mulheres se uniu em um protesto pacífico, em frente a Paço Municipal de Juazeiro (BA), na manhã dessa sexta-feira (18). Elas cobram mais investimentos na saúde pública, especialmente no Hospital Materno Infantil.

Muitas delas perderam seus filhos enquanto eram pacientes na unidade. Com o grito de socorro, essas mães querem evitar que outras gestantes passem pelo trauma de ver os filhos nascerem e morrerem pouco depois, diante o descaso na maternidade.

O caso mais recente é de Géssica Ferreira. Ela estava grávida e precisou dar à luz no chão da Maternidade. O bebê de Géssica morreu três dias depois, pela falta de uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal. O caso ganhou repercussão na Bahia. Nessa semana o Ministério Público (MP-BA) determinou que a Prefeitura realize reformas e aquisição de novos equipamentos.

Trabalhadores do setor de eventos farão manifestação em Petrolina nesta sexta-feira

Nesta sexta-feira (18) empresários e trabalhadores do ramo de eventos realizam uma manifestação no Centro de Petrolina. Eles cobram a flexibilização ao setor, que foi um dos primeiros a parar por conta da pandemia do novo coronavírus. O ato está marcado para 8h30, na Concha Acústica da cidade.

“A gente precisa se colocar no lugar do outro, a gente quer trabalhar. Isso é trabalho, é luta, é suor, é sustento. Vamos nos colocar no lugar do outro. Estamos aguardando o posicionamento dos prefeitos, todo movimento é válido, é democrático e é direito“, disse a promotora de eventos, Jackeline Maia ao programa Super Manhã com Waldiney Passos, na Rádio Jornal Petrolina.

Crise no setor

Ela estima que cerca de 30% das empresas da região não conseguirão superar a crise econômica provocada pela pandemia da covid-19. “Não parei de pagar as contas, nem a classe. A gente precisa que as pessoas que fazem a lei, elas que estão fazendo aglomerações aqui com essas convenções. A gente só quer trabalhar e de forma organizada“, afirma.

De acordo com Jackeline, o setor precisa ser liberado tanto em Juazeiro (BA), quanto em Petrolina. “A gente precisa voltar a trabalhar, nós queremos trabalhar corretamente. Não temos porque fazer [evento] escondido. Queremos fazer dentro da lei“, pontua.

Os governos da Bahia e de Pernambuco já permitem a realização de eventos com até 100 pessoas. A realização deve levar em conta o distanciamento mínimo entre os presentes e as demais medidas sanitárias.

Familiares criticam atual sistema de visitação na PDEG e farão protesto em Petrolina

Visitação é realizada de 15 em 15 dias atualmente (Foto: Reprodução/Internet)

As visitas em unidades prisionais de Pernambuco estão liberadas desde o dia 8 de agosto, mas com restrições. Justamente por isso, nesta quarta-feira (16) às 9h, um grupo de Petrolina fará uma manifestação em frente à Penitenciária Dr. Edvaldo Gomes (PDEG), para cobrar a visitação no horário normal.

Os motivos são vários. Em primeiro lugar, as famílias alegam que o atual modelo adotado pelo Governo do Estado está resultando em mais aglomeração de pessoas. “É pior do que as visitas normais, que antes era só com cinco pessoas. E agora estão numa sala de aula com 10 a 12 pessoas”, disse um parente de detento na PDEG.

Falta organização

Conforme anunciado pela Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), a visitação ocorre a cada 15 dias. Mulheres grávidas, idosas e crianças não têm direito a entrar. Isso porque, são grupo de risco da covid-19. No entanto, a principal queixa dos familiares é a logística das visitas.

“A gente quer as visitas normais, porque tem gente que vem de Araripina, de fora e viajam. Sem contar que também há problemas com a questão de quem vai poder visitar. Uma vez a gente vai e dá viagem perdida, é muita falta de informação“, ressalta.

Segundo essa fonte, pelo menos 100 mulheres já confirmaram presença na manifestação. O Blog está em contato com a Seres, mas até o momento não obteve respostas sobre os pontos destacados pela leitora.

Funcionários do SAMU de Juazeiro cobram melhores condições de trabalho

Profissionais da linha de frente no enfrentamento a covid-19, funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Juazeiro (BA) realizaram um ato na tarde de segunda-feira (20), cobrando melhores condições de trabalho.

Com cartazes, os servidores foram à Rodovia Lomanto Júnior, em frente a sede do SAMU para chamar atenção do poder público e da população. A falta de estrutura na unidade é um problema antigo e foi inclusive, alvo de queixas no Ministério Público da Bahia (MPBA), em novembro de 2019 (veja aqui).

Quantidade insuficiente de veículos e falta de equipamento aos funcionários foram alguns dos problemas apontados pelo MPBA. Na época da queixa a Prefeitura de Juazeiro, que estava em “aquisição de equipamentos para as unidades básicas e avançadas” (leia aqui).

Trabalhadores vão às ruas de Juazeiro pedir retomada das atividades comerciais

Grupo pede retomada das atividades comerciais (Foto: Rede GN/Reprodução)

A segunda-feira (6) começa com manifestação em Juazeiro (BA). Enquanto o prefeito Paulo Bomfim (PT) concedia entrevista a imprensa local, funcionários do comércio estavam nas ruas da cidade cobrando a reabertura das lojas.

Sem previsão

O fechamento do comércio seguirá até 12 de julho, quando o prefeito poderá ou não revogar o atual decreto municipal. Questionado sobre a flexibilização do setor, Bomfim foi enfático. “Nesse momento nós estamos numa crescente muito rápida e infelizmente eu não vou autorizar reabertura do comércio. A gente vai acompanhando o dia a dia e entendendo esse processo”, disse o prefeito.

Sindicato não concorda com ato, mas quer volta 

Em nota, o Sindicato dos Comerciários de Juazeiro (Sindcom) não apoiou o ato de hoje, no entanto, pede a volta das atividades comerciais. “É necessário outras estratégias para que seja solicitado ao poder municipal a reabertura do comércio e que sejam amenizados os impactos financeiros com o fechamento do mesmo”, destaca a entidade.

Gestores de academias de Petrolina farão carreata nesta segunda-feira

Numa tentativa de pressionar o Governo de Pernambuco, gestores das academias de Petrolina farão uma carreata na próxima segunda-feira (6), às 10h. Além deles, profissionais de Educação Física também devem marcar presença. O grupo sairá da Orla da cidade.

Ainda não há informações sobre o percurso dos manifestantes. Os gestores alegam estar cumprindo os protocolos sanitários e que a saúde também é importante durante a pandemia do novo coronavírus. A reabertura das academias ainda não tem data definida pelo Governo do Estado.

Contudo, na última quinta-feira (2) o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo afirmou já existir um diálogo com o setor. “Temos discutido o protocolo com a Secretaria de Educação e Esportes e com o setor de ginástica. Demos um passo em relação ao reinício das atividades esportivas. Estamos caminhando nesse processo de retomada, avaliando os números, reforçando esses protocolos para em breve anunciar o retorno das atividades físicas em espaços fechados”, disse.

123