Macron vence Le Pen e reeleito presidente da França

Projeções divulgadas pela imprensa francesa apontam que o presidente Emmanuel Macron será reeleito ao vencer o segundo turno deste domingo (24) contra a representante da extrema direita Marine Le Pen, que admitiu a derrota minutos após o fechamento das urnas. Veja os números abaixo:

Projeção Ifop

  • Emannuel Macron: 58%
  • Marine Le Pen: 42%

Projeção Elabe

  • Macron: 57,6%
  • Le Pen: 42,4%

Projeção Ipsos

  • Macron: 58,2%
  • Le Pen: 41,8%

“Obrigado por estarem aqui novamente”, disse aos mesários após votar na cidade costeira de Le Touquet, no norte francês, neste domingo.

Marine Le Pen já havia votado mais cedo em seu reduto de Hénin-Beaumont, também no norte do país.

Menos de 15 minutos depois da divulgação das projeções, a candidata Le Pen se pronunciou. Ela admitiu a derrota e afirmou que o resultado ainda é uma vitória para o seu movimento político.

A desafiante ainda disse que a vontade de defender o que é francês foi reforçada, e que seus partidários já foram declarados mortos milhares de vezes, mas sempre foi errado, e que o cenário político francês está se recompondo.

As últimas pesquisas divulgadas na sexta-feira já indicavam que o candidato do “República em Marcha” (LREM), de 44 anos, venceria sua rival do Reunião Nacional (RN), de 53 anos, com uma vantagem menor do que em 2017, quando foi venceu com 66,1% dos votos.

Cinco anos depois, a França não é o mesmo país em que o centrista havia vencido pela primeira vez: protestos sociais marcaram a primeira metade do mandato de Macron, uma pandemia global confinou milhões de pessoas e a invasão russa da Ucrânia abalou todo o continente europeu.

A guerra às portas da União Europeia (UE) marcou a campanha eleitoral, embora a principal preocupação dos franceses seja o seu poder de compra, num contexto de aumento dos preços da energia e dos alimentos.

Além de escolher entre dois modelos de sociedade, os eleitores tinham nas mãos a escolha do lugar no mundo que querem para essa potência econômica e nuclear até 2027.

Le Pen propunha em sua campanha inscrever na Constituição a “prioridade nacional”, a fim de excluir os estrangeiros dos auxílios sociais, e defendia o abandono do comando integrado da Otan e a redução dos poderes da União Europeia.

Mulher com fantasia que representa a Justiça segura cartaz com os dizeres: "emergência ecológica e social: amarelos, verdes, vermelhos e negros todos em paris no século 21" durante ato dos coletes amarelos em Paris em 2019 — Foto: Jean-Christophe Verhaegen/AFP

Mulher com fantasia que representa a Justiça segura cartaz com os dizeres: “emergência ecológica e social: amarelos, verdes, vermelhos e negros todos em paris no século 21” durante ato dos coletes amarelos em Paris em 2019 — Foto: Jean-Christophe Verhaegen/AFP

Em contrapartida, Macron defendeu uma Europa mais forte, seja em questões econômicas, sociais ou de defesa, e espera dar um novo impulso reformista e liberal à França com sua proposta de adiar a idade de aposentadoria de 62 para 65 anos, que em 2020 já gerou protestos em massa.

Uma das chaves para isso estará nas eleições legislativas que serão realizadas nos dias 12 e 19 de junho. De acordo com uma pesquisa divulgada na sexta-feira, 66% querem que Macron perca sua maioria parlamentar.

A última “coabitação” remonta ao período de 1997 a 2002, quando Chirac nomeou o socialista Lionel Jospin como primeiro-ministro.

Os primeiros-ministros social-democratas da Alemanha, Espanha e Portugal, bem como o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, manifestaram seu apoio a Macron durante a campanha.

Fonte: G1

Mundo: ataque em metrô de Nova York deixa pelo menos 13 pessoas feridas

Pelo menos 13 pessoas ficaram feridas após um ataque ser registrado no metrô de Nova York, nos Estados Unidos. O fato foi registrado no bairro do Brooklin, no começo da manhã desta terça-feira (12), horário que é marcado pela saída dos cidadãos norte-americanos para o trabalho.

Há relatos oficiais de que pelo menos cinco pessoas tiveram ferimentos provocados por disparos de arma de fogo. O principal suspeito de ser o autor do ataque foi avistado usando máscara de gás e colete laranja, vestimenta de funcionários da construção civil.

Nas redes sociais as imagens mostravam fumaça e as autoridades policiais relataram ter apreendido um dispositivo explosivo, mas sem ele ter sido detonado. As buscas pelo suspeito continuam.

Gafe: Folha de SP publica morte de Rainha Elizabeth por engano

Um dos principais veículos de comunicação do Brasil, a Folha de São Paulo cometeu a chamada “barrigada” no jornalismo (termo utilizado para os casos nos quais há informação com erros graves). Nesta segunda-feira (11), o veículo online noticiou a morte da Rainha Elizabeth, do Reino Unido. Contudo, a monarca está viva.

O erro foi reconhecido após repercussão nas redes sociais. Segundo a Folha, houve um “erro técnico”, que resultou na publicação do obituário da Rainha. A matéria foi editada, reconhecendo o equívoco do jornal.

Devido a um erro técnico, a Folha publicou por engano, na manhã desta segunda-feira (11), um obituário da rainha Elizabeth 2ª, do Reino Unido. É de praxe no jornalismo preparar com antecedência textos acerca de cenários possíveis e/ou prováveis, como a morte de líderes mundiais, celebridades e pessoas públicas”, disse o jornal.

Copa do Mundo: Brasil repete dois adversários de 2018

Samuel Laudilio;

A Fifa realizou hoje o sorteio dos grupos da Copa do Mundo do Qatar. A seleção brasileira está no grupo G, ao lado de Sérvia, Suíça e Camarões. A Copa do Qatar será realizada de 21 de novembro a 18 de dezembro de 2022.

O Brasil estreia em 24 de novembro contra a Sérvia. Depois, joga contra a Suíça em 28 de novembro e encerra a fase de grupos em 2 de dezembro contra Camarões. Os horários ainda não foram definidos.

A seleção brasileira encarou sérvios e suíços na fase de grupos da Copa de 2018. Na ocasião, empatou com a Suíça e venceu a Sérvia. O outro adversário de quatro anos atrás foi a Costa Rica.

O jogo de abertura da Copa será Qatar x Equador, às 7h (de Brasília), em 21 de novembro.

As equipes foram divididas em quatro potes de acordo com a posição de cada seleção no ranking da Fifa. O Brasil estava no pote 1, junto aos demais cabeças de chave, e lidera o ranking da entidade.

Ainda restam três vagas na Copa, que serão preenchidas em confrontos de repescagem. Os duelos da repescagem são: Costa Rica x Nova Zelândia, Austrália ou Emirados Árabes Unidos x Peru e País de Gales x Escócia ou Ucrânia.

A Fifa aguardava o sorteio para direcionar os horários dos jogos da fase de grupos. A ideia da entidade é colocar os confrontos em horários atrativos para as transmissões de cada país.

LEIA MAIS

Ucrânia propõe adotar neutralidade, e Rússia diz que vai ‘reduzir radicalmente’ ataques a Kiev

Reunião Rússia x Ucrânia na Turquia — Foto: Governo da Ucrânia/Reuters

As tropas russas vão recuar e reduzir ‘radicalmente’ ataques em Kiev e Chernihiv, no norte do país, segundo anunciou nesta terça-feira (29) o vice-ministro da Defesa russo, Alexander Fomin.

“No sentido de fortalecer a confiança mútua e criar condições necessárias para negociações futuras e alcançar o objetivo final de assinar um acordo, tomamos a decisão de reduzir radicalmente e por uma ampla margem as atividades militares nas direções de Kiev e Chernihiv”, declarou Fomin.

O vice-ministro disse ainda que Moscou vai revelar mais detalhes da decisão e das negociações após a delegação russa retornar ao país. O anúncio foi feito depois do final da nova rodada de negociações que Rússia e Ucrânia realizaram nesta manhã em Istambul, na Turquia, para tentar colocar fim a mais de um mês de ataques russos ao território ucraniano.

No encontro, segundo o G1, a Ucrânia propôs adotar a neutralidade, segundo informaram membros da delegação na saída da reunião. O status neutro significa que o país não pode fazer parte de alianças militares, como a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), nem hospedar bases militares em seu território.

Em troca, Kiev pediu garantias de segurança, disseram negociadores ucranianos.

Grupo de 47 ucranianos chega ao Brasil em acolhida humanitária

Chegou hoje (26) ao Brasil um grupo de 47 ucranianos que estava na Polônia. O Ministério das Relações Exteriores (MRE) informou que eles foram apoiados pela força-tarefa da Embaixada do Brasil em Varsóvia.

A embaixada providenciou os documentos de viagem e notas dirigidas às autoridades migratórias, sanitárias e aeroportuárias polonesas.

Os ucranianos também tiveram apoio do Consulado-Geral em Frankfurt, onde foi realizada conexão de voo. Eles desembarcaram no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

LEIA MAIS

Com voto do Brasil, ONU pede ‘fim imediato das hostilidades’ e culpa Rússia por crise humanitária na Ucrânia

A Assembleia Geral da ONU aprovou, nesta quinta-feira (24), uma resolução que culpa a Rússia pela crise humanitária na Ucrânia e que pediu novamente o “fim imediato” das hostilidades no país.

Essa foi a segunda resolução aprovada contra a Rússia na Assembleia da ONU em menos de um mês. Mais uma vez, ela é não vinculante, ou seja, não tem cumprimento obrigatório.

A resolução, elaborada por Ucrânia e aliados, recebeu 140 votos a favor (inclusive do Brasil) e 5 votos contra, enquanto 38 países se abstiveram. (Veja a tabela com os votos abaixo).

Painel mostra votação da Assembleia Geral da ONU em 24 de março de 2022 — Foto: Reprodução/UNTV

Painel mostra votação da Assembleia Geral da ONU em 24 de março de 2022 — Foto: Reprodução/UNTV

Houve uma salva de aplausos na Assembleia após o anúncio do resultado da votação.

Belarus, Coreia do Norte, Eritreia, Síria e Rússia votaram contra, como fizeram na primeira resolução adotada em 2 de março.

China, Bolívia, Cuba, El Salvador, Nicarágua e Irã são alguns dos 38 países que se abstiveram nesta votação.

LEIA MAIS

Otan decide ampliar defesas no flanco oriental da aliança militar

Líderes da aliança militar do Ocidente estão reunidos hoje (24) em Bruxelas. Após o encontro, ficou definido que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) vai incrementar o número de tropas em países ao Leste da aliança, mais especificamente na Eslováquia, Romênia, Bulgária e Hungria.

“Permanecemos unidos e decididos em nossa determinação de nos opormos à agressão russa, ajudar o governo e o povo da Ucrânia e defender a segurança de todos os aliados”, diz o comunicado assinado pelos líderes dos 30 países que formam a aliança.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, fez novamente um apelo aos países do Ocidente por uma zona de exclusão aérea, para que aviões russos pudessem ser abatidos durante voos sobre a Ucrânia.

Os líderes da Otan, no entanto, seguem com o entendimento de não intervenção direta no conflito, para evitar uma escalada de tensão e uma guerra de maiores proporções.

Corte Internacional decide que Rússia deve retirar tropas da Ucrânia

A Corte Internacional de Justiça (CIJ), em Haia, nos Países Baixos, decidiu hoje (16) que a Rússia deve suspender imediatamente as operações militares na Ucrânia. O veredito pede ainda a retirada de tropas militares e a adoção de medidas urgentes para que a disputa não seja agravada.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky,  afirmou no Twitter que “a Ucrânia obteve uma vitória completa em seu caso contra a Rússia na Corte Internacional de Justiça. A CIJ ordenou que a invasão pare imediatamente. A ordem é obrigatória sob a lei internacional. A Rússia deve cumprir imediatamente. Ignorar a ordem isolará ainda mais a Rússia”.

A corte decidiu ainda que organizações e pessoas associadas à Rússia não tomem medidas para dar continuidade à ação militar. Essa decisão foi adotada por 13 votos a favor e dois contra, da Rússia e da China.

LEIA MAIS

Guerra na Ucrânia provoca momento de incertezas para economia, avalia Colegiado de Economia da FACAPE

A invasão russa à Ucrânia já mexe com a economia global e segundo um levantamento da Faculdade de Petrolina (FACAPE), o Vale do São Francisco também sentirá os efeitos da guerra no leste europeu. Um trabalho coordenado pelo Colegiado de Economia, pela professora Socorro Macedo observa que os reflexos vão desde a agricultura até o orçamento doméstico.

Isso porque a região onde Rússia e Ucrânia estão localizados é uma grande produtora de milho, trigo e petróleo. Com a guerra, a exportação de produtos sertanejos é afetada. “Se um país que é o quarto maior exportador e o maior produtor, não está produzindo ou vai reduzir, a quantidade produzida será comprometida. Significa que o Brasil que é um grande produtor de grãos e um grande produtor de commodities, nessa situação, vai ter seus produtos mais caros, comprometendo o preço da carne; do leite; da margarina e assim vai a cadeia como um todo“, avalia a professora.

Para Macedo, o atual cenário é de incertezas – principalmente por conta dos reflexos também da pandemia da Covid-19 – e que os efeitos também serão sentidos no bolso do consumidor, afinal o orçamento doméstico também será afetado.

Ucrânia: combate se alastra nos arredores de Kiev

REUTERS/Marko Djurica

Combates se alastravam nos arredores de Kiev neste sábado, e autoridades ucranianas disseram que o forte bombardeio e ameaças de ataques aéreos da Rússia colocam em risco as tentativas de retirar civis desesperados de cidades sitiadas em outros locais.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy disse que a Rússia enviaria novas tropas, após as forças ucranianas tirarem de ação 31 dos seus batalhões de grupos táticos, no que ele chamou de a pior baixa do Exército russo em décadas.

Zelenskiy afirmou que entre 500 e 600 soldados russos haviam se rendido apenas na sexta-feira e que cerca de 1.300 soldados ucranianos foram mortos desde que o conflito começou. Não foi possível verificar suas afirmações.

LEIA MAIS

Aeronave da FAB que resgatou brasileiros deixa a Polônia

O presidente Jair Bolsonaro publicou há pouco, em suas redes sociais, a informação de que o avião KC-390 Millennium da Força Aérea Brasileira (FAB) está decolando de Varsóvia, na Polônia, em direção ao Brasil. A aeronave levou doações para a Ucrânia e está repatriando brasileiros e estrangeiros que fogem do conflito.

O voo trará 42 brasileiros, 20 ucranianos, cinco argentinos e um colombiano, além de 14 crianças. Também serão trazidos oito cachorros e dois gatos.

Mais cedo, a FAB publicou um vídeo com o embarque dos passageiros.

LEIA MAIS

Presidente americano suspende importação de petróleo da Rússia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou no início da tarde de hoje (8) a suspensão das importações de petróleo da Rússia. Biden reconheceu que muitos países aliados, devido à dependência energética, podem não ser capazes de tomar medidas parecidas.

“Os Estados Unidos produzem muito mais petróleo domesticamente do que todos os países europeus juntos. Na verdade, somos também exportadores, então podemos assumir essa medida, outros não podem. Estamos trabalhando também com parceiros europeus para reduzir a dependência da energia russa”, afirmou Biden.

LEIA MAIS

Ucrânia e Rússia encerram 3ª rodada de negociações

Terminou, nesta segunda-feira (07), a 3ª rodada de negociações entre Rússia e Ucrânia. O porta-voz da delegação ucraniana, Mykhailo Podoliyak, disse que há uma pequena e positiva melhora na organização dos corredores humanitários. Não foram mencionados maiores detalhes.

“Continuamos com as consultas intensivas sobre o bloco político básico dos regulamentos, juntamente com um cessar-fogo e garantias de segurança”, disse Podoliyak em um vídeo.

Já o porta-voz russo, Vladimir Medinsky, disse que “ainda é cedo” para falar em avanços positivos após a terceira ronda de negociações e que não dá para se iludir que a próxima rodada trará um “resultado final”.

Uma imagem divulgada pelo governo de Belarus, aliado de Moscou e que sedia as negociações, mostrou mais cedo as delegações da Rússia e Ucrânia reunidas.

Um porta-voz russo disse, antes da reunião, que as demandas da Rússia são que a Ucrânia:

A ofensiva russa, iniciada em 24 de fevereiro, provocou a fuga de mais de 1,5 milhão de pessoas da Ucrânia e um número ainda maior de habitantes estão deslocados dentro do país ou bloqueados em cidades bombardeadas pela Rússia.

O agravamento do conflito também provoca turbulências financeiras e o aumento vertiginoso dos preços do petróleo e do ouro.

A nova rodada de negociações russo-ucranianas na ocorreu na fronteira entre Belarus e Polônia, e seria concentrada – segundo adiantou o chefe da delegação russa, Vladimir Medinski – nos corredores humanitários.

Fonte: G1.

OMS relata ataque a hospitais na Ucrânia

Foto: Twitter/Reprodução

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o cessar-fogo do final de semana entre Ucrânia e Rússia falhou e houve ataques a hospitais na Ucrânia, causando “várias mortes e feridos”, segundo o diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

A entidade investiga a origem dos ataques. “Ataques a instalações de saúde ou trabalhadores violam a neutralidade médica e são violações do direito internacional humanitário”, pontuou o diretor-geral da OMS por meio das redes sociais.

Além disso, neste domingo (6), um posto de retirada de civis foi atingido por disparo perto de Kiev, capital da Ucrânia. A invasão russa chega ao 11º dia com o cessar-fogo do final de semana sem funcionar e civis continuam expostos em meio à guerra.

123