Ceará registra 51 assassinatos em 48h; reforço da segurança no estado conta com militares do 72º BIMtz de Petrolina

(Foto: José Leomar/SVM)

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará informou que, desde o início da paralisação de policiais e bombeiros militares no estado, no último dia 18, até quinta-feira (20), foram registrados um total de 51 assassinatos, uma média de 25,5 por dia, considerando um intervalo de 48 horas.

Os crimes englobam casos que se enquadram como homicídio doloso, feminicídio, lesão corporal seguida de morte e latrocínio. Antes do motim de integrantes das forças de segurança estaduais, a média de assassinatos no Ceará era 6 por dia.

Desde a manhã desta sexta-feira (21), militares das Forças Armada atuam no policiamento nas ruas e avenidas de Fortaleza. A presença de tropas federais foi uma solicitação do governador Camilo Santana ao governo federal, que decretou Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no Ceará até o dia 28.

Também por solicitação do governo do Ceará, um contingente de 120 homens da Força Nacional de Segurança chegou ao estado para se somar ao efetivo de patrulhamento ostensivo. Eles permanecerão na região por 30 dias.

Exército Brasileiro

O reforço da segurança no estado cearense conta com 2,5 mil soldados do Exército Brasileiro – incluindo 150 do 72º Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMtz) de Petrolina (PE). Mais 150 agentes da Força Nacional devem chegar ao Ceará neste fim de semana.

As tropas do Exército que fazem o patrulhamento são formadas por militares de Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, e vão atuar de forma prioritária na capital e cidades da Região Metropolitana. No interior, as forças serão empregadas conforme a demanda.

Deixe uma resposta