Com poema sobre a seca, estudante de escola pública de Salgueiro é vencedora da categoria Lenice Gomes

concurso-salgueiro

A motivação para escrever veio da professora de sua disciplina preferida, português. (Foto: divulgação)

A estudante do 9º ano da Escola Valdemar Soares de Menezes, Cely de Alencar Pereira, de 15anos, foi a primeira colocada na categoria infanto-juvenil Lenice Gomes, no 6º Concurso Literário de Salgueiro, promovido pela Prefeitura, com a poesia Vida Nordestina.

Através de versos, ela faz um relato sobre o sofrimento do homem do campo diante das adversidades da seca, mas sem deixar de mostrar a esperança de que essa realidade mude, principalmente, com a conscientização das pessoas no uso racional da água.

“É importante preservar os recursos e trabalhar esse tema porque, futuramente, vamos ver os danos”, explicou.

A motivação para escrever veio da professora de sua disciplina preferida, português, Thatiane Maria de Sá, que abordou o assunto em sala de aula e pediu à turma que desenvolvesse uma produção sobre o tema.

A jovem poetisa, que será premiada com R$ 500,00 e um kit de livros da coletânea correspondente ao Concurso de 2016, já havia participado de edições anteriores, mas nunca chegou a ser publicada. “Fiquei um pouco surpresa porque eu via os outros ganharem e eu achei que nunca ia conseguir”, disse.

E completou: “O concurso é importante porque incentiva mais a leitura e os estudos, também”.

Confira o poema vencedor:

Vida Nordestina

Cely de Alencar pereira

Vida nordestina

Nesta vida de altos e baixos

Aqui predomina o sofrimento

Dos nossos antepassados

Até os novos tempos.

A seca é um grande maltrato

Que este povo vem vivendo

Conta dos rios e riachos

Secarem antes do tempo.

Todo ato tem conseqüência

E aí vemos a falta d’água

Água é vida e não podemos,

De forma alguma desperdiçá-la,

Preservando o resto que temos

Até mesmo as que já foram usadas

Tenho certeza que teremos

Uma vida mais organizada.

Pra quem mora neste Sertão

A vida não é tão fácil,

Quando a chuva cai no chão

Molha todo o arado

E sertanejo que antes chora

Cantando hoje como pássaro

Manda toda tristeza embora

– O mundo ainda pode ser salvo!

Se mudarmos nossas atitudes

Pode crer, Vai que dá certo

Pois preservar é melhor do que viver

Como se estivesse num deserto

Onde a temperatura é quente

No outono, prima vera e inverno.

É melhor ter água potente

Do que água de açude ou restos.

Caso sua atitude não mude

Só espere e pague pra ver

Quando mais não tiver saúde

Aí vai se arrepender.

Perderá sua juventude

E o restante, pode crer.

Esta região nordestina

É a que mais sofre com seca

Mas, infelizmente algum dia

Serão as regiões inteiras

Isso se não houver harmonia

Entre o homem e a natureza

Então não estrague sua vida

Pesando que isto é besteira.

Portanto se conscientize

E faça sua parte

Se daqui a 50 anos

Quiser estar vivo de verdade!

E não precisa sofrer tanto

Por tanta atrocidade

E assim te suplicamos:

“seja contra essa maldade”.

Deixe uma resposta