Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Combate ao racismo institucional é tema de encontro em Petrolina

(Foto: ASCOM)

O enceramento das atividades do Mês da Consciência Negra em Petrolina (PE) evidenciou o interesse da prefeitura em combater o racismo e qualquer tipo de preconceito em suas repartições. Através de uma oficina promovida pelo projeto ‘Prefeitura sem Preconceito’, o racismo institucional e seus efeitos na gestão municipal foram debatidos, na última sexta-feira (23), em um encontro coordenado pela Secretaria Executiva de Juventude e Direitos Humanos, com a presença de servidores de diversas secretarias.

O evento, mediado pela advogada Ariana Andrade, provocou diversas reflexões sobre como o racismo é observado dentro do ambiente de trabalho e na sociedade como um todo. De forma construtiva, a roda de conversa possibilitou aos participantes expressar suas opiniões sobre o tema e através do diálogo, os servidores tiveram a oportunidade de conhecerem um pouco das situações de racismo e injúria racial vividas por alguns colegas ao longo de suas vidas.

Para a secretária executiva de Juventude e Direitos Humanos, Bruna Ruana, ações em alusão ao Mês da Consciência Negra em Petrolina não poderiam ser concluídas com outro público. “Precisamos cuidar também do nosso quadro de colaboradores, com o intuito de combater qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação nos espaços institucionais, mas também no atendimento à população, além de fortalecer a educação permanente no âmbito da prefeitura”, pontua.

Prefeitura sem Preconceito

O projeto “Prefeitura sem Preconceito” tem o objetivo de apresentar vivências, capacitar e discutir com os servidores o adequado acolhimento e atendimento ao público negro e LGBT. Idealizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, através da Secretaria Executiva de Juventude e Direitos Humanos, o projeto pretende garantir o direito à diversidade e combater qualquer tipo de discriminação no serviço municipal.

Deixe uma resposta