Começou o período de fiscalização dos mototaxistas de Petrolina e a população precisa ficar atenta a padronização do serviço

(Foto: Blog Waldiney Passos)

O serviço de mototaxi se tornou popular em Petrolina devido a praticidade de locomoção e rapidez, entretanto, a população precisa ficar atenta à padronização para não correr o risco de ser vítima de um mototaxista clandestino. Para esclarecer dúvidas e novidades sobre o serviço o Blog recebeu na manhã de hoje (11) o Presidente do Sindicato dos Motociclistas Profissionais, Mototaxistas, Motofrentistas, Motoboys e Condutores de Motos, Motonetas e Triciclos de Petrolina (Sinpropet), Marcos Souza.

Entre os meses de janeiro e maio os mototaxistas de Petrolina deverão passar por vistoria para regularizar a prestação do serviço e evitar a clandestinidade. Atualmente, a cidade com 794 mototaxistas cadastrados e cerca de 200 auxiliares.

(Foto: Divulgação/Sindicato)

A padronização da motocicleta e do mototaxista precisa estar de acordo com o padrão estipulado pela Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMMPLA) e deve ser observada antes do início da corrida. Segundo Marcos Souza, “a cor do veículo tem que ser vermelha, com faixas verdes e uma pequena faixa amarela, o número de identificação do mototaxista nas duas laterais da moto e na parte traseira, além da placa vermelha”.

Os interessados em realizar o cadastro como mototaxista devem ter mais de 21 anos, ser habilitado a mais de 2 anos, ter um curso de especialização, deve apresentar antecedentes criminais, residir em Petrolina a mais de um ano (comprovado pelo o título de eleitor) e histórico da habilitação. Todos os itens devem ser apresentados na AMMPLA para avaliação.

Caso o serviço não seja prestado de maneira correta ou que desagrade durante a corrida, deve ser denunciado para a ouvidoria através do telefone 156 ou para a AMMPLA pelo telefone (87) 3862-0300, com a apresentação do número de inscrição do mototaxista. Além disso, segundo Marcos, caso o cliente não fique satisfeito com as condições da motocicleta e do capacete, também fazer a denúncia.

“Se o cliente não estiver de acordo ele pode denunciar. A vistoria é feita anualmente, onde são verificados todos os itens de segurança da moto e do capacete. Caso seja denunciado o condutor pode ser multado e suspenso, passando até três meses sem trabalhar”.

Estupro Réveillon

Sobre a denúncia feita por uma mulher que teria sido estuprada depois das festividades de réveillon na Orla de Petrolina, Marcos Souza acredita que o acusado não seja um mototaxista.

“Foi uma pessoa que se aproveitou da situação, do horário e pela falta de informação. Segundo a vítima o autor do crime, seria uma pessoa com uma camisa amarela e uma moto roxa. Ela perguntou se ele era um mototáxi e ele confirmou. Pode ser inclusive uma pessoa que nem trabalha com transporte, mesmo que de maneira irregular”.

Contato da Central de Mototaxistas cadastrados 3864 2779/ 98817 5727 / 87 9 9656 3005

Deixe uma resposta