Comissão aprova contratação de empréstimo de US$ 200 mi para a Bahia

Senado Bahia

O estado deve utilizar o dinheiro na segunda etapa do programa de manutenção de rodovias, sobretudo na região oeste e no sertão / Foto: Waldemir Barreto – Agência Senado

A  Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) autorizou nesta terça-feira (26) a contratação de quatro operações de crédito externo, no valor global de US$ 482,5 milhões (R$ 1,7 bilhão). Os projetos irão à votação em Plenário, em regime de urgência.

A maior operação, de US$ 200 milhões, a ser assinada com o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), beneficiará a Bahia. O estado deve utilizar o dinheiro na segunda etapa do programa de manutenção de rodovias, sobretudo na região oeste e no sertão. De acordo com o senador Walter Pinheiro (sem partido-BA), os recursos contribuirão para gerar trabalho e renda, favorecendo ainda o escoamento da produção agrícola do estado.

A segunda operação de maior valor, US$ 150 milhões, também a ser assinada com o Bird, destina-se à cidade de Manaus (AM). Os recursos deverão ser utilizados na busca do equilíbrio fiscal e na melhoria dos serviços públicos. Os recursos a serem captados serão pagos em 24 anos, tendo cinco anos de carência e 19 anos para amortização do empréstimo, explicou Fernando Bezerra Coelho, que relatou o projeto de resolução.

Outra operação aprovada pela comissão, no valor de US$ 100 milhões, será assinada entre o município de Niterói (RJ) e a Corporação Andina de Fomento. O dinheiro será destinado ao financiamento parcial do programa Região Oceânica Sustentável do município fluminense.

Outra operação autorizada pela CAE envolve o Bird e o governo federal, no valor de US$ 32,5 milhões. Os recursos vão financiar parcialmente o projeto de regularização ambiental de imóveis rurais do cerrado brasileiro. A matéria foi relatada pelo senador José Pimentel (PT-CE). Ele explicou que os recursos contribuirão para fortalecer a implantação do controle de desmatamento na região.

Com informações da Agência Senado.

Deixe uma resposta