Comunidade participa de audiência da Vara da infância

Juiz da Infância e Juventude - Marcos Bacelar

Nesta quarta (09), o auditório da UPE teve sua capacidade levada ao máximo com a participação de pais, alunos e gestores na audiência promovida pela Vara da Infância e Juventude de Petrolina. A ação que se iniciou na segunda-feira(07), teve seu fechamento no dia de hoje com participação expressiva de menores e responsáveis de 28 escolas da rede pública (estadual e municipal).

 Para os dois dias foram convocados 600 alunos com problemas de violência e indisciplina, os quais foram acompanhados com seus responsáveis, bem como de representantes das unidades de ensino. A primeira etapa ocorreu no Fórum Dr. Manoel Francisco Souza Filho, apenas com menores reincidentes. Hoje, a audiência ocorreu no auditório da UPE com a participação da Defensoria Pública, da Promotoria de Justiça, de fiscais e servidores da unidade judiciária que abordaram o tema do evento.

Para a gestora da escola Jesuíno Antonio D’avila, Maria Auxiliadora Santana, o evento cumpriu o seu objetivo e acredita que deve surtir efeito no comportamento dos jovens e também dos pais junto à escola. “Vieram todos os nossos alunos convocados e deu para perceber que todos estavam muito interessados e atentos ao que foi dito aqui hoje. Acredito que a seriedade da situação passada nessas palestras pode modificar a postura dos alunos no ambiente escolar”, explicou a gestora.

O juiz da Vara Regional da Infância e Juventude, Marcos Franco Bacelar, acredita que a reputação da sua unidade contribuiu significativamente para a participação massiva na audiência de hoje. “Fico feliz de tantos pais e alunos terem atendido nossa convocação. Todos participaram com atenção do evento e acredito que a mensagem de advertência foi passada com sucesso para eles. Esperamos que o recado também seja partilhado pelo menores quando voltarem para suas respectivas salas de aula.”, explica o juiz.

 Com essas audiências, a Vara da Infância e Juventude ultrapassa a marca de 1500 procedimentos de medidas protetivas no ambiente escolar em 2015. No ano de 2014, com o aumento da presença da justiça nas escolas, a unidade conseguiu reduzir  o número de atos infracionais praticados por menores em 23,7%, comparado ao ano de 2013. (Asscom)

Deixe uma resposta