Confirmação de morte por Guillain-Barré pode demorar até 30 dias

doença
O Hospital da Restauração (HR), no Recife, pode levar até 30 dias para confirmar se foi mesmo a síndrome de Guillain-Barré a causa da morte da adolescente Xukuru, Danielle Marques de Santana, nesta quarta-feira (06). Apesar da síndrome aparecer no atestado de óbito da vítima, o HR afirmou, em coletiva de imprensa no fim da manhã desta quinta, que somente exames póstumos poderão comprovar a suspeita. Um dos exames sairá em até 30 dias.

A médica Lúcia Brito explicou que Danielle chegou no HR com infecção grave e coube à equipe da unidade primeiro tentar reverter as complicações e só depois realizar o diagnóstico, mas a paciente veio a óbito.

Danielle estava internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da restauração há quase dois meses. O primeiro atendimento, por suspeita de chikungunya, foi realizado no Hospital Dr. Lídio Paraíba (HLP), ainda em Pesqueira, onde Danielle vivia. Depois de alguns dias sem evolução, ela foi encaminhada para Caruaru, onde a gravidade do caso foi identificada. Para a família da vítima, houve descaso com Danielle em Pesqueira. Nesta manhã (07), a secretária de Saúde do município, Elizabete Costa, deixou o cargo.

O corpo de Danielle foi velado na aldeia Pé de Serra de São Sebastião, a 16 km de Pesqueira e a previsão é que o enterro aconteça nesta tarde.  (Diário de PE)

Deixe uma resposta