Conheça os escritores que trocaram a medicina pela literatura

Conan Doyle na Estante VirtualO escocês que criou Sherlock Holmes estudou medicina na Universidade de Edimburgo. Nascido em família pobre, e com um salário de médico aprendiz que era baixo demais para a sua sobrevivência, ele começou a escrever como forma de garantir o próprio sustento. Quando conseguiu publicar seu primeiro livro, “Um estudo em vermelho”, Doyle se firmou como escritor e passou a se dedicar exclusivamente a um certo fumador de cachimbo e seu fiel escudeiro Watson.

Anton Tchekhov

Anton Tchekhov na Estante Virtual

Este escritor e dramaturgo figura entre um dos maiores do mundo. Mas, antes da fama literária, Tchekhov cursou medicina na Universidade de Moscou e, ao mesmo tempo, escrevia esquetes teatrais sob pseudônimos para complementar o orçamento. Para a sorte de Anton, a carreira literária deslanchou, já que se futuro como médico tendia a não ser muito rentável: ele tinha o costume de atender aos pobres de graça.

Guimaraes Rosa

Guimaraes Rosa na Estante Virtual

O autor de Sagarana e Grande Sertão: Veredas formou-se na Faculdade de Medicina na Universidade de Minas Gerais e chegou a ser Oficial Médico Militar da Força Pública antes de enveredar pelo universo das letras.

Michael Crichton

Michael Crichton na Estante Virtual

A rotina diária sem fantasia e finais felizes do City Hospital Boston massacrou o espírito idealista de um jovem médico formado em Harvard. Michael Crichton deixou a emergência de lado e idealizou sucessos como “O Parque dos Dinossauros”.

Moacyr Scliar

Moacyr ScliarFormado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Moacyr trabalhou com especialista Saúde Pública e chegou a ser professor universitário, conciliando a profissão com sua prolífica produção literária.

Com informações de Estante Virtual

Deixe uma resposta