Cúpula do PMDB agiu para impedir delação, diz Janot

oie_9115433V6apU1i3

Para procurador, houve ainda combinação de versões; Sarney, Jucá e Renan negam

O pedido de prisão de três integrantes da cúpula do PMDB feito pela Procuradoria- Geral da República afirma, segundo a Folha apurou, que eles combinavam versões de defesa e estratégias para evitar serem atingidos pela Operação Lava Jato.

A investigação sugere que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) e o senador Romero Jucá (PMDB-RR) atuaram para impedir a delação do ex-presidente da Transpetro e aliado Sérgio Machado.

Para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, há ainda indícios de que o grupo tentaria influenciar o Judiciário e produziria documentos para maquiar desvios na gestão de Machado. O delator, que gravou diálogos com os peemedebistas, disse ter repassado para eles R$ 70 milhões do petrolão.

Ainda não há prazo para decisão do Supremo Tribunal Federal sobre os pedidos. Renan afirmou que nunca agiu para evitar a aplicação da lei. Sarney se disse perplexo e indignado com o pedido de prisão. A defesa de Jucá nega que ele tenha recebido recursos ilegais.

Com informações da Folha de São Paulo.

Deixe uma resposta