Depois de morte de adolescente grávida, vereador Ronaldo Cancão pede instalação de comissão na Câmara para investigar atendimento no Hospital Dom Malan

Vereador Ronaldo Cancão. (Foto: Blog Waldiney Passos)

Após morte de adolescente grávida no Hospital Dom Malan de Petrolina (PE), na manhã desta quarta-feira (2), o vereador Ronaldo Cancão (PTB), informou durante a sessão desta quinta-feira (3), na Câmara de Vereadores, que encaminhou requerimento ao presidente da casa Plínio Amorim, vereador Osório Siqueira (PSB), solicitando a instalação de uma Comissão Especial Parlamentar de Inquérito para apurar o atendimento na unidade hospitalar.

“O IMIP/Dom Malan virou caso de polícia. Um hospital de canibal. Vamos fazer uma investigação em torno do desmantelo, das mortes, das vidas ceifadas por negligência médica do IMIP/Dom Malan. O CREMEP é depois. Ministério Público é depois, porque nós vamos fazer o papel do Ministério Público, nós vamos investigar. Não tenho favorecimento no hospital Dom Malan e em nenhuma outra unidade de saúde. Eu nunca fui pedi favorecimento em nenhum hospital. Meu mandato aqui é independente. Por isso, senhor presidente, lhe encaminhei esse requerimento”, afirmou o vereador.

Assinam também o requerimento os vereadores Paulo Valgueiro, Gabriel Menezes, Ronaldo Silva e Rodrigo Araújo. Durante entrevista em uma rádio de Petrolina na manhã de hoje (3), a mãe da adolescente Miliam Carvalho da Silva, de 15 anos, acusou o hospital de negligência médica no atendimento da filha. Segundo ela, a filha ficou durante três dias sentada em uma cadeira a espera de atendimento.

Milian havia escondido a gravidez da mãe e não tinha feito o pré-natal. O hospital alega que não tinha informações sobre a gravidez da adolescente justamente pela a falta desse acompanhamento, que deveria ter sido feita nas unidades de saúde do município.

Ontem (2), o IMIP/Dom Malan enviou nota ao blog sobre o caso. Confira:

Nota de Esclarecimento

O Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina informa que a paciente Miliam Carvalho da Silva veio a óbito na manhã desta quarta-feira (02.05), tendo como causa declarada: Edema Agudo de Pulmão / Choque Séptico / Corioamnionite / Ruptura Prematura de Membranas. Sendo a SEPSE (conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção) a maior causa de mortalidade materna no público adolescente.

A paciente deu entrada na unidade no último domingo (29.04) sem nenhuma informação acerca da gravidez, pois não havia iniciado o pré-natal. No serviço, ela realizou exames e teve todo o acompanhamento médico necessário desde o primeiro momento. A paciente, inclusive, fez uso de medicação para o amadurecimento do pulmão do bebê e antibioticoterapia de amplo espectro.

Infelizmente, o quadro estável da paciente evoluiu rapidamente para um choque séptico, que resultou em uma parada cardiorrespiratória. A equipe médica imediatamente entrou com as manobras de reanimação e tentou por 40 minutos uma reversão do quadro, sem sucesso.

Em tempo, o hospital solidariza-se com a família, se coloca à disposição dos mesmos para maiores esclarecimentos, e ressalta que o caso seguirá para o Comitê de Mortalidade Materna do HDM.

Deixe uma resposta