Documentário lançado em Salgueiro aborda os talentos da sanfona a partir de Luiz Gonzaga

Em 45 minutos, documentário Levando a Vida na Sanfona fala dos talentos de várias gerações/Foto: internet

Em 45 minutos, documentário Levando a Vida na Sanfona fala dos talentos de várias gerações/Foto: internet

A arte de tocar sanfona vai além do ofício de artista, da paixão pelo instrumento, da inspiração musical ou do prazer de estar no palco puxando o fole para multidões dançarem. Esses pontos abrem o horizonte de diálogos com grandes sanfoneiros ao longo do documentário Levando a vida na sanfona, do jornalista e pesquisador Emanuel Andrade, com a produtora Mídia Digital (Kayo Vinicius e Cassio Júnior), lançado neste sábado (30) durante a final do 8º Festival da Sanfona, dentro das comemorações do aniversário de 152 anos de emancipação política de Salgueiro.

O documentário é produto de dois anos de acompanhamento dos bastidores  e shows do Festival da Sanfona, rodas de sanfonas e festas juninas. De acordo com o jornalista Emanuel Andrade, a ideia do documentário (de 45 minutos), dedicado à memória de Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Sivuca; é reverenciar os talentos da sanfona,  fazendo a ponte entre as gerações a partir de Luiz Gonzaga e as que sucederam, incluindo os jovens que atualmente estão mergulhados na música como sanfoneiros.

O filme fecha o projeto O Fantástico Mundo das Sanfonas que culmina com uma exposição de fotografias que está em cartaz na Casa da Cultura Veremundo Soares, até o próximo dia 20 de maio.  No documentário, estão nomes como Waldonys, Cezzinha, Targino Gondim, Zenilton, Danilo Pernambucano, Renato do Acordeon (Limão com Mel), Kinho Callou,  Teresinha do Acordeon.

Durante os diálogos, os artistas contam sua relação com o instrumento, como tudo começou, as referências e o ofício de ganhar a vida tocando o instrumento nas cidades e no campo. No final, eles definem a importância da música em suas vidas. O projeto da exposição e documentário tem incentivo da Prefeitura de Salgueiro e será durante o mês de junho, exibido em escolas da rede municipal com direito a palestras para os estudantes sobre a música e pertencimento nordestino. Até os festejos juninos, o filme vai percorrer outras cidades da região.

Com informações da Assessoria

Deixe uma resposta