Documento comprova que HU não tinha anestesista e cirurgião no último sábado

documento hu

Um relato de um documento da Chefe da Unidade de Urgência e Emergência do plantão do último sábado (12), no Hospital Universitário, em Petrolina, sertão de Pernambuco, mostra que não havia médicos anestesista e cirurgião na unidade. Segundo o documento, os responsáveis pela unidade foram acionados e avisados sobre a situação da unidade hospitalar, porém, a recomendação dada foi de fechar o plantão do HU.

De acordo o relatório, não havia anestesista, não explicando a motivação da ausência do profissional e também não se encontrava na unidade o médico-cirurgião, que precisou se ausentar por problemas de saúde na família. Ainda segundo o escrito, o diretor-médico da instituição Luiz Otávio e Ricardo Lima, responsável pelo HU, SAMU e Central de regulação foram informados sobre o ocorrido.

Leia na íntegra o que diz o ofício escrito pela Chefe da Unidade de Urgência e Emergência para a Central de Regulação e SAMU:

“Informo ao que no plantão de hoje não há médico anestesista no bloco cirúrgico e o cirurgião plantonista da emergência precisou se ausentar do plantão devido a um problema de saúde familiar, comuniquei através de contato telefônico ao diretor médico desta instituição Dr. Luiz Otávio o mesmo fechou o plantão da cirurgia na emergência e orientou que não fosse permitida a entrada de pacientes traumatizados trazidos pelo SAMU, já que não há profissionais qualificados neste plantão para atender esta demanda, comuniquei também através de contato telefônico as orientações ao Prof. Ricardo Lima responsável pela instituição, que respaldou as orientações de Dr. Luiz Otávio. Informo ainda que a central de regulação e o SAMU já foram avisados no início do plantão através de contato telefônico.”

Relembre o caso: 

Na madrugada deste domingo (13), de acordo com o ex-vereador Ronaldo Silva (PSDB) algumas pessoas vítimas de acidentes, se depararam com o portão do Hospital Universitário fechado com cadeado. Diante da cena, ele afirma que o telefonaram por volta de 1h30 da manhã. Ao chegar no local, constatou o fato e foi falar com a equipe de plantão. Segundo Ronaldo, foi entregue a ele um documento informando que não havia anestesista e que o cirurgião tinha ido resolver um problema familiar.

Entre os pacientes graves havia um jovem de 17 anos, morador de Juazeiro, Norte da Bahia, que foi atingido por dois tiros na face e foi levado para o Hospital Universitário pelo Samu. Ainda segundo o ex-vereador, diante da situação a Polícia Militar foi chamada e o paciente pôde entrar na unidade. Outro fato que teria ocorrido, teria sido a agressão médica socorrista do Samu,  Juliana Aguiar, que acompanhava o caso do paciente.  Ela teria sido agredida  pelo segurança do hospital. Ronaldo Silva afirma que ao ver a cena ele teve que intervir.

O rapaz, ainda de acordo com o ex-vereador, veio a óbito no HU.

Deixe uma resposta