Dólar opera em alta e e pela 1ª vez ultrapassa R$ 4,50

(Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O dólar opera em alta nesta quinta-feira (27), atingindo pela primeira vez a cotação de R$ 4,50 e subindo pela sétima sessão consecutiva, em meio aos persistentes temores sobre a expansão do coronavírus e impactos na economia global.

Às 16h08, a moeda dos EUA era negociada a R$ 4,4744, com alta de 0,79%. Na máxima, até o momento, chegou a R$ 4,5016. Já o dólar turismo era negociado ao redor de R$ 4,70, sem considerar a cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Investidores estão receosos com os potenciais danos da disseminação do novo coronavírus pelo mundo e os potenciais impactos da doença sobre a economia global. Isso derruba os investimentos de risco e favorece aplicações consideradas mais seguras, como o dólar e o ouro.

Nem a atuação do Banco Central no mercado foi suficiente para conter o avanço da moeda americana nesta quinta. O BC vendeu 20 mil contratos de swap, após ter ofertado a 10 mil na véspera. O leilão ocorreu no começo do pregão. No exterior, o peso mexicano é a divisa emergente que mais sofre ante o dólar no dia -o real ocupa a quarta colocação.

As Bolsas voltaram a operar em forte queda nesta quinta. Na Europa, os índices recuam ao redor de 3,5%, enquanto que nos Estados Unidos e no Brasil as perdas giram ao redor de 2%. No começo do pregão, o Ibovespa, principal índice acionário do país, era negociado ao redor dos 103 mil pontos.

Entre as principais perdas estão as ações da Petrobras (-4%), Vale (2,8%) e os papéis de companhias aéreas. As empresas de aviação e turismo estão pressionadas pela possibilidade de redução no turismo e viagem de negócios por causa da doença.

Já as ações do setor bancário inverteram o sinal e passaram a subir -também com forte peso no índice, elas ajudam a suavizar a queda da Bolsa.

Com informações da Folha de Pernambuco

Deixe uma resposta