Em artigo,secretário de Juazeiro(BA) lamenta fim do Ministério da Cultura

"Temos ainda que lidar com a insensatez de um governo provisório, que entre tantos abusos políticos, ainda está dilapidando a nossa CULTURA", pontua Menezes/Foto: ASCOM“Temos ainda que lidar com a insensatez de um governo provisório, que entre tantos abusos políticos, ainda está dilapidando a nossa CULTURA”, pontua Donizete Menezes/Foto: ASCOM

A Cultura Nacional à beira do abismo

Depois do atentado contra a democracia, um golpe institucional que nos paralisou emocionalmente, mas não racionalmente, temos ainda que lidar com a insensatez de um governo provisório, que entre tantos abusos políticos, ainda está dilapidando a nossa CULTURA. Sim, é mais um atentado, desta vez contra a sabedoria popular, a nossa riqueza cultural, os nossos artistas e intelectuais em todas as áreas da cultura brasileira.

O Brasil, que tem a música, a literatura, as artes visuais, as artes cênicas, e uma grande produção cinematográfica nos quatro cantos do nosso imenso país, não deve aceitar tamanha afronta de governantes sem capacidade nenhuma de gerenciamento técnico sobre a educação e cultura brasileiras. Critérios políticos para uma pasta de importância gigantesca para a nação, e ainda reduzindo o seu valor como instrumento transformador de nossos povos, raças e culturas diversas.

A classe artística nacional como reflexo de um país culturalmente ativo e criativo não aceita essa medida, de tirar do MinC status de ministério e a Cultura voltar a ser MEC, compartilhada com a Educação, diminuindo a sua importância num cenário nada animador para o seu desenvolvimento.

Juazeiro também se levanta para defender esta causa, e a Secretaria Municipal de Cultura e Juventude, se solidariza com a Cultura nacional, violada e politicamente relegada a um inóspito gerenciamento político-partidário. Estamos atentos para defender a nossa CULTURA, maior patrimônio deste país.

Donizete Silva de Menezes
Secretário de Cultura e Juventude de Juazeiro-Bahia.

Deixe uma resposta