Em Nota, Ruy Wanderley esclarece boatos sobre seu afastamento da Casa Plínio Amorim

(Foto: Blog Waldiney Passos)

O vereador de Petrolina e líder governista, Ruy Wanderley (PSC) emitiu uma nota, neste sábado (9), onde presta esclarecimentos sobre o seu afastamento da Câmara de Vereadores do Município.

O parlamentar não descartou a possibilidade do afastamento, mas explicou o motivo, que é diferente do especulado. Ele ainda falou sobre quando deve se afastar do cargo. “Só Deus sabe. Pode ser hoje, amanhã, ano que vem. Formalizarei o pedido quando achar prudente, assim como o amigo Josivaldo Barros achar que está pronto para assumir a responsabilidade”.

Veja a nota na íntegra:

“Tais notícias acerca de meu afastamento da Câmara para não votar nas contas do Ex-Prefeito Júlio Lossio são, notadamente, de cunho duvidoso, e totalmente distorcidas.

Desde minha pré-candidatura, quando montávamos toda a estrutura partidária do PSC em Petrolina, partido ao qual sou Presidente, sempre discutíamos sobre a realização do mandato coletivo. Todos os companheiros do PSC sabiam que aqueles que fossem eleitos pela sigla, não teriam um mandato individualizado, mas o mandato seria de todos.

Sendo assim, após o resultado das urnas, cogitávamos a abertura de espaço para os Suplentes, no intuito de desafiá-los, e deixar também que exercessem sua parcela de contribuição para a população petrolinense. Neste sentido, conversei com os nossos suplentes lá atrás, nos primeiros meses de mandato, questionando se os mesmos teriam o desejo de ocupar uma vaga na Câmara ainda nesta legislatura, mesmo que temporariamente.

Nunca neguei a possibilidade de afastamento temporário, mas não para me esquivar da responsabilidade da votação das contas do Ex-Prefeito, mas sim para agraciar os colegas que fizeram parte da minha conquista eleitoral, assim como já fiz em outros mandatos, citando por exemplo meu primeiro mandato, onde abri espaço para o então companheiro de partido, Josamar Tadeu, e na minha terceira legislatura para o colega Cícero Freire, e assim por diante…

Portanto, antes que me perguntem: não descarto a possibilidade de afastamento, mas não pelo motivo que estão comentando, mas sim para agraciar os membros do meu partido”.

Questionado sobre quando seria realizado esse afastamento, respondeu Ruy: “Só Deus sabe. Pode ser hoje, amanhã, ano que vem… Formalizarei o pedido quando achar prudente, assim como o amigo Josivaldo Barros achar que está pronto para assumir a responsabilidade”.

Deixe uma resposta