Emenda parlamentar do Deputado Gonzaga Patriota é destinada para implantação de energia solar na Univasf

(Foto: Divulgação)

O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) anunciou o envio de R$ 25o mil de sua cota de Emenda Parlamentar Individual, destinado ao início do processo de eficiência energética da Universidade do Vale do São Francisco (Univasf), com ênfase em equipamentos movidos a energia solar, verba foi um pedido do professor Jorge Cavalcanti, feito pessoalmente ao parlamentar na semana passada.

A implantação do sistema de energia solar na Univasf tem como objetivo reduzir os gastos da universidade com despesas fixas, e consequentemente, direcionar esta economia para outros setores importantes da instituição de ensino.

A região do Vale do São Francisco convive com temperaturas médias elevadas durante quase todo o ano. Cidades como Petrolina apresentam quase 3000 horas de sol anualmente, e esta característica faz com que os custos com climatização disparem, principalmente na primavera e no verão.

Diante do esgotamento da matriz hidrelétrica brasileira, o uso das bandeiras tarifárias têm elevado ainda mais a parcela do orçamento das instituições destinadas a cobrir os custos com eletricidade, e a Univasf não é exceção a esta regra.

“Com o crescimento da sua estrutura física, os gastos da Univasf com eletricidade já superam os quatro milhões de reais anualmente. A implantação de um sistema de geração de energia solar fotovoltaica naquela Universidade permitiria que a mesma reduzisse o seu gasto com custeio, já que o uso de aparelhos de ar condicionado é imprescindível ao seu funcionamento durante quase todo o ano. Além disto, o investimento em energias limpas por parte de uma instituição de renome como a Univasf, teria um papel influenciador e transformador em toda a região”, argumentou Gonzaga Patriota.

No Vale do São Francisco, o mercado de instalação de sistemas de energia solar é representado por empresas de pequeno e de médio porte, que têm como seus principais clientes pequenos comércios e produtores rurais. A interligação destes sistemas à rede elétrica permite que se possa vender os excedentes de energia produzidos, em troca de créditos a serem usados em período de maior consumo.

Deixe uma resposta