Emenda que busca incluir lésbicas no Conselho Municipal dos Direitos da Mulher provoca reação da bancada evangélica de Petrolina

Alguns vereadores usaram Bíblia para criticar emenda (Foto: Blog Waldiney Passos)

A sessão de hoje (9) caminhava tranquilamente, até os vereadores de Petrolina iniciarem a votação do Projeto de Lei n° 039/2019, proposto pela vereadora Maria Elena de Alencar (PRTB). A matéria tinha como proposta alterar a composição do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher.

LEIA TAMBÉM:

Vereadores analisam projeto que altera número de integrantes do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Petrolina

O número de integrantes seria ampliado com a aprovação da matéria, contudo, a emenda aditiva proposta por Gilmar Santos (PT) provocou um alvoroço na bancada evangélica. O motivo: no texto Gilmar buscava a inclusão da mulher lésbica no Conselho, para defender políticas públicas ao grupo.

Bíblia foi argumento da bancada

Com argumentos de que Deus criou o homem e a mulher e ideologia de gênero, Elias Jardim (PHS), Osinaldo Souza (PTB) e Ronaldo Souza (PTB) criticaram veementemente a emenda. A discussão dividiu as bancadas e até mesmo Ronaldo Silva (PSDB) que é da Situação rebateu os colegas, alegando que a lésbica nasce mulher.

Autora do PL critica companheiros

Enquanto discutiam a emenda a vereadora – membro da Situação e colega de bancada dos edis contrários – e chamou os colegas de “ignorantes” por postergar a aprovação dessa inclusão. “Nós queremos políticas públicas“, bradou Elena. Gilmar rebateu a colocação dos companheiros e afirmou que vereador deve legislar independente de cor ou religião e pensar em prol da sociedade.

Projeto votado e aprovado

Para adiantar a votação dos projetos – são seis no total em pauta – o presidente da Câmara, Osório Siqueira (PSB) colocou as matérias para apreciação. O PL de Elena foi aprovado por 18×0 a zero, mas até o momento a emenda de Gilmar não foi votada.

Deixe uma resposta