Encontro de Educação e Cordel de Petrolina homenageia Chico Pedrosa nesta edição

edu cordelOficinas, bate papo e uma cantoria em homenagem ao poeta Chico Pedrosa. Já foi definida a programação da segunda edição do Encontro de Educação e Cordel de Petrolina – Edu…Cordel, que vai movimentar 600 alunos das escolas da rede estadual de ensino e o Sesc de Petrolina de 11 a 14 deste mês.

O projeto começa às 17h, na sexta-feira (11), no pátio da escola do Projeto Nilo Coelho – N 11, com o lançamento do livro produzido pelos alunos nas oficinas de cordel, seguido de um bate papo e cantoria com os artistas regionais Josemar Pinzoh, João Sereno e Mariano Carvalho.

No dia 14 de março, Dia Nacional da Poesia, o Edu… Cordel reúne pesquisadores, cantadores e educadores a partir das 14h, no Teatro Dona Amélia (Sesc Petrolina). Para falar sobre música, cordel, educação e cidadania, estão sendo esperados nomes, a exemplo de Armandinho Macedo (Trio Elétrico Armandinho Dodô & Osmar), Mário Ulloa, Socorro Lacerda, Maviael Melo e a participação do poeta Chico Pedrosa.

Uma cantoria encerra o evento às 20h, no Teatro Dona Amélia com as participações de Lirinha (ex-vocalista do Cordel do Fogo Encantado), Mariano Carvalho, Marcone Melo, Maurício Menezes, Maviael Melo, João Sereno, Renan Mendes e Clênio Sandes. Ao final, todos cantam os parabéns pelo aniversário de 80 anos de Chico Pedrosa.

Segundo o idealizador do Edu… Cordel, Maviael Melo o projeto foi contempladopelos programas Mais Cultura (MINC) e Mais Educação (MEC) e contou com o apoio do Sesc Petrolina e a Clas Comunicação & Marketing. Distribuído em 3 etapas, a primeira e a segunda, aconteceram nos dias 28, 29 e 30 de julho e 26, 27, 28 e 29 de agosto de 2014, com oficinas, bate papos e apresentações culturais para toda a comunidade do N11, em Petrolina. Nas oficinas foram produzidos textos em cordel pelos alunos, resultando no livro que será  lançado agora, no dia 14 de março.

“Nossa proposta é a construção e integração de pensamentos com jovens de escolas públicas. Utilizando a Literatura de Cordel como a ferramenta propulsora dos diálogos e das ideias sobre temas locais e reais de cada participante. O livro dos alunos também será publicado em Braille”, concluiu Maviael Melo.

Deixe uma resposta