Encontro reúne instituições e sociedade civil para discutir o novo Plano Diretor de Petrolina

(Foto: ASCOM)

O novo Plano Diretor Participativo de Petrolina está mais próximo de ser concluído. Ainda resta muito trabalho, mas o processo de revisão começou em ritmo intenso. Depois de uma semana inteira de diálogo com a população – foram 15 reuniões com 22 entidades do poder público, setor privado e organizações sociais, totalizando mais de 100 participantes – foi a vez da prefeitura realizar a primeira oficina de diálogo para discutir aspectos críticos da realidade atual do município, visão de futuro e projetos estruturadores.

Durante o encontro, realizado na última sexta-feira (8) no auditório da OAB Petrolina, a equipe de trabalho responsável pela revisão do Plano Diretor Participativo, apresentou o cronograma de ações fundamentais para a elaboração do novo documento. As atividades, que começaram em maio, seguem até outubro em seis fases: Plano de Trabalho, Prospecção de Dados, Diagnóstico Propositivo, Estudo de Instrumentos, Proposta de Estruturação e Proposta de Regulação. Esta última vai culminar numa Audiência Pública, último passo antes de levar o plano para apreciação e aprovação na Câmara de Vereadores.

Além de instituições do poder executivo municipal, como a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS) que conduz o processo de revisão do plano, representantes de outras esferas também participaram do evento, como o poder legislativo municipal, entidades profissionais, acadêmicas e de pesquisa, entidades não governamentais, associações, conselhos comunitários e movimentos populares, entidades empresariais. Para o arquiteto Cosme Cavalcanti, um momento importante de discussões. em prol do desenvolvimento urbano.

“É hora de analisar, estudar e rever toda a legislação existente feita de uma forma antidemocrática. O momento é de pensar Petrolina hoje e amanhã para que a gente possa garantir para as futuras gerações uma melhor qualidade de vida”, afirma Cavalcanti.

De acordo com o secretário da SEDURBS, Eduardo Carvalho, a participação da população é fundamental nas discussões de atualização do Plano Diretor. “Estamos abrindo este espaço para dar voz a todos que conhecem melhor do que ninguém as dificuldades e necessidades da população no aspecto urbanístico. Daí o nome participativo. Somente com esse diálogo é que será possível ter um novo Plano Diretor que vai conduzir a cidade para um novo patamar de desenvolvimento, conforme as expectativas do nosso prefeito Miguel Coelho”, destaca Carvalho.

Deixe uma resposta