Equipe de transição de Miguel Coelho envia nota rebatendo críticas a atual gestão

Julio Lossio recorreu ao Ministério Público para intervir no conflito.

A celeuma instalada entre as equipes de transição de governo de Petrolina parece não ter fim. A querela começou desde que foram formadas as equipes que levantaram inúmeras questões para seguir com a transição do governo. Por não haver consenso, o prefeito Julio Lossio recorreu, na manhã desta quinta-feira (15), ao Ministério Público para intervir no conflito.

O coordenador da equipe do prefeito eleito Miguel Coelho, o advogado Diniz Eduardo Macedo​, rebateu as críticas e ações tomadas pela equipe de Júlio e afirmou, em nota, que menos de 50% das informações solicitadas foram repassadas pela equipe de Lossio e que o atual prefeito tem “tumultuado” o processo de transição.

Confira a nota na íntegra:

“Em respeito ao povo de Petrolina, a equipe de transição de governo do prefeito eleito Miguel Coelho lamenta que o atual gestor da cidade, Julio Lóssio, venha dificultando e tumultuando o processo legal de coleta de informações sobre a Prefeitura. Desde o início, buscamos trabalhar de forma técnica, correta e seguindo rigorosamente as recomendações do Tribunal de Contas do Estado, pensando apenas no interesse da população e na continuidade dos serviços.

Apesar do discurso do prefeito Lóssio de estar garantindo a transição, a realidade que se mostra é a oposta. Menos de 50% dos dados solicitados foram liberados pela prefeitura. Não bastasse o volumoso quantitativo de ofícios sem resposta adequada, esta equipe de transição não teve sequer acesso a algumas obras de interesse da população. Além disso, o limitado material que nos é fornecido, quando chegou, foi fora dos prazos legais, retardando o processo e criando embaraços.

Em virtude disso, esta equipe vem a público condenar a postura pouco republicana e sem transparência dos atuais mandatários da Prefeitura de Petrolina. Sofremos até ataques do prefeito e de alguns de seus auxiliares na tentativa de tirar o foco do que realmente interessa, a situação da Prefeitura (obras, finanças, pessoal, entre outros). Reforçamos que nossa obrigação é apenas de coletar as informações e permitir que o próximo prefeito possa garantir os serviços na cidade. Politicagem e propaganda não estão em nosso foco de trabalho.

Por fim, declaramos que estamos à disposição caso o prefeito Lóssio, ao apagar das luzes e com os prazos da transição quase esgotados, deseja a participação do Ministério Público neste processo. Talvez, com a mediação do MP, a equipe da prefeitura finalmente cumpra a obrigação legal de fornecer os dados que estamos solicitando há meses e que, por motivos obscuros, não nos são fornecidos.

​Diniz Eduardo Macedo​ – Coordenador da equipe de transição de Miguel Coelho”.

Deixe uma resposta