Estão falando dos candidatos à presidência e esquecendo dos deputados e senadores, mais uma vez

Cabe aos eleitores brasileiros entenderem a importância do voto consciente. (Foto: Ilustração)

Com a aproximação das eleições de 2018, muito se discute sobre quem será o melhor presidente do país. Bolsonaro, Lula, Dória, Ciro Gomes, são vários os nomes propostos para assumir o cargo de chefe do executivo nacional.

Contudo, vale lembrar a importância dos deputados federais e dos senadores para a composição estrutural da União. Em um país que se diz presidencialista, os parlamentares mostraram, durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, e do prosseguimento da denúncia contra o presidente Michel Temer, a importância e a força do Poder Legislativo na condução do país.

Dentre as competências exclusivas do Congresso Nacional, formado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal, segundo a Constituição Federal, estão: autorizar o Presidente da República a declarar guerra, sustar os atos normativos do Poder Executivo que exorbitem do poder regulamentar e julgar anualmente as contas prestadas pelo Presidente da República, por exemplo.

Logo, mais importante do que escolher o melhor Presidente da República Federativa do Brasil, é a escolha dos parlamentares que irão compor o nosso Congresso. Não adianta ter o melhor presidente e os piores deputados e senadores.

Sem falar na importância da escolha do vice-presidente. Os eleitores devem investigar tanto o presidente, quanto o vice-presidente antes de dar seu voto de confiança a estes. É necessário saber que ele é o primeiro na linha de sucessão, caso o presidente deixe o cargo.

Depois dele, caso haja algum impedimento, serão sucessivamente chamados o presidente da Câmara dos Deputados, presidente do Senado Federal e por fim o presidente do Supremo Tribunal Federal.

Portanto, cabe aos eleitores brasileiros entenderem a importância do voto consciente, saber a importância de cada cargo político na conjuntura nacional, para, através do voto, buscar a mudança do Brasil diante de tantos escândalos de corrupção.

Deixe uma resposta