Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Estudantes das escolas estaduais de Petrolina tiveram alta de 60,7% no desempenho, aponta IDEPE

Ano passado, mais de 600 alunos da rede estadual em Petrolina e região foram aprovados no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). (Foto: ASCOM)

Matemática e química são duas matérias que para o estudante Eduardo da Silva, 19 anos, requerem atenção e esforço continuado. Ele estuda na Escola Estadual Professora Adelina Almeida, no bairro Areia Branca, zona leste de Petrolina, e diz se identificar com a maneira como seus professores abordam essas disciplinas. “Eles dão aula no laboratório, usam tablets e outros aparelhos para o ensino e quando temos dúvidas, nós os questionamos”.

Eduardo, que cursa o 3º ano do Ensino Médio, não é exceção ao elogiar a metodologia adotada pela rede estadual de ensino, e essa satisfação dos estudantes já se transformou em números: em 2016, houve crescimento de 62,7% das Escolas de Ensino Médio, se comparado a 2015. Segundo o IDEPE, índice que avalia anualmente o desempenho da Educação Básica em Pernambuco, a Regional também registrou crescimento de 60% das Escolas do Ensino Fundamental.

“Nossa posição na Rede Estadual de ensino é confortável. Temos oitenta Escolas entre as quais quinze são de Educação Integral; adotamos a política de formação continuada de professores e o protagonismo juvenil dos estudantes; discutimos planejamento estratégico visando melhorias na apresentação do conteúdo; acompanhamos o desempenho do aluno e incentivamos os pais a participarem sempre do processo”, explica a gestora da Gerência Regional do Sertão Médio São Francisco (GRE), Anete Ferraz.

Dados do IDEPE mostraram que os alunos dos sete municípios componentes da GRE alcançaram média 3,9 de desempenho, aproximando-se da média pernambucana de 4,1 e à frente da nacional, com 3,4.  Para Anete, o comprometimento do governo estadual, as medidas de incentivo aos professores e a busca pela interação com os estudantes contribuíram para o resultado.

“Nossos jovens, hoje, estão aptos para concorrer em qualquer vestibular do país. O governador Paulo Câmara prioriza as demandas da Educação. Utilizamos o modelo de gestão que nos permite compreender os processos, como a participação efetiva da família Escola, sendo eficiente e eficaz na identificação de quais pontos necessitam das intervenções e consequente melhoria nos resultados educacionais”, diz.

Ano passado, mais de 600 alunos da rede estadual em Petrolina e região foram aprovados no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). De acordo com a gestora, são estudantes indígenas, quilombolas, do sequeiro, zona rural e urbana. “Isso mostra que a qualidade da Educação no Médio São Francisco está democratizada. Nossas escolas são especiais a começar pela estrutura. Os prédios são excelentes, e os alunos recebem livro, farda, bolsa, tudo de primeira qualidade”, enfatiza Anete Ferraz.

Premiação e futuro

Premiação e bonificação são duas das formas usadas pelo governo do estado para incentivar as regionais, escolas e professores a melhorar o desempenho dos alunos. Na última segunda-feira (28), o governador Paulo Câmara recebeu, no Palácio do Campo das Princesas, gestores, professores e estudantes para premiar os maiores destaques do IDEPE.

“Estamos satisfeitos com os resultados alcançados, mas cientes de que precisamos continuar a melhorar, a avançar. O que foi apresentado aqui, mostra uma evolução muito importante de todas as regiões. E todas essas conquistas são frutos de uma construção que tem dado resultados, que tem mostrado ano a ano a melhoria do ensino público em Pernambuco”, declarou Paulo Câmara, durante a cerimônia.

Resultados positivos que Eduardo da Silva deseja ver transformados em uma aprovação para universidade no futuro próximo. “Me orgulho em fazer parte da melhor rede de escolas públicas do Brasil. Estou me preparando para fazer o ENEM, entrar na faculdade e cursar jornalismo ou educação física, e em 2018 já está no primeiro período do curso”, contou ele.

Deixe uma resposta