Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

“Eu ainda espero que isso seja repensado”, diz Dom Paulo sobre impasse envolvendo a construção de um Shopping Popular em área da Diocese de Petrolina

Dom Frei Paulo Cardoso, durante participação no programa Super Manhã. (Foto: Blog Waldiney Passos)

O bispo emérito de Petrolina, Dom Frei Paulo Cardoso da Silva, esteve nesta quarta-feira (23) no programa Super Manhã, da Rádio Jornal, onde revelou o seu posicionamento sobre a construção de um Shopping Popular em uma área do Palácio Diocesano, no Centro de Petrolina.

O religioso revelou que outras áreas da Diocese poderiam ser utilizadas para tal construção e que a área escolhida deveria ser poupada, por se tratar de um edifício histórico com caráter cultural e religioso. “Tenho várias razões (para ser contra a construção), a primeira delas é pelo o que o Palácio representa para a história cultural, arquitetônica e religiosa de Petrolina. É como se fosse uma continuidade da Catedral. Dom Malan fez essa obra majestosa que é a Catedral e em seguida construiu o Palácio Diocesano, que é uma continuidade. Outra razão, é que todo o entorno deve ser respeitado”, afirmou Dom Paulo.

O bispo emérito reconhece os problemas financeiros enfrentados pela Diocese de Petrolina e vê a possibilidade que outras áreas sejam utilizadas para suprir a necessidade financeira. “A diocese passa por dificuldades como todo o Brasil, mas nós temos outras duas áreas livres para essa construção, para rendimento. Então por que não naquelas áreas? E porque nessa área que é um patrimônio? O palácio e a catedral são propriedades da diocese legalmente e são patrimônios da comunidade”.

Outra solução seria o envolvimento da comunidade neste debate, para que outras opções fossem apresentadas e o problema fosse resolvido. “Aleguei que no mínimo, deveria ter tido um debate da diocese com a coletividade para analisar as razões, e inclusive ver outras possíveis áreas para conseguir o rendimento necessário a manutenção da Diocese”.

Sobre a carta emitida pelo administrador diocesano Padre Antônio Malan de Carvalho, nesta terça-feira (22), Frei Paulo discorda de diversos pontos e aponta inverdades nas afirmações de Padre Malan.

“Eu preferia até nem comentar esse assunto e de fato essa carta do Padre Malan, não me foi enviada, tive acesso por acaso. Ninguém me enviou aquela carta, com um teor que realmente deixa a desejar. Eu estou afastado da administração há quatro anos e neste período não tenho como responder sobre a situação atual do local”, afirmou sobre as declarações de que o local estaria sujo e cheio de gatos.

Ainda sobre a carta, Frei Paulo revelou que nunca foi contrário à reforma da Catedral e elogiou a iniciativa. “Tem algumas alegações que não procedem e já que se tornou algo público, aproveito para dizer que diferente do que foi dito na carta, eu nunca fui contrário a reforma da Catedral, que por sinal é excelente. Eu nunca me posicionei contra. Lá está dito que se fosse por mim não teria acontecido, isso não corresponde à verdade. Eu questionei somente um detalhe.  Tanto a Catedral, quanto a Matriz são patrimônios que precisam ser preservados”, afirmou religioso.

Para encerrar, Dom Frei Paulo Cardoso reforçou que tem esperanças de que o projeto seja suspenso. “São vários motivos e eu aguardo com esperança, para que se repense de imediato e que esse projeto seja suspenso”, finalizou.

Deixe uma resposta