Exclusivo: funcionário desmente nota do HDM e relata demissão por justa causa após gravar vídeo mostrando estragos causados por chuva

Funcionário acionou a Justiça para buscar direitos (Foto: Blog Waldiney Passos)

No dia 6 de janeiro, Petrolina registrou uma forte chuva durante a noite. Um funcionário do Hospital Dom Malan/IMIP fez um vídeo para mostrar a situação da unidade, que registrou alagamentos em algumas áreas. Dois dias depois das imagens circularem em grupos de WhatsApp, ele e uma colega de trabalho foram demitidos por justa causa.

LEIA TAMBÉM

Dom Malan desmente boato e classifica de “informação equivocada” notícia sobre demissão de funcionários

Em conversa com o Blog Waldiney Passos, o funcionário – que será mantido em sigilo – desmentiu a nota encaminhada pela assessoria do hospital que alegava não ter havido corte de profissionais. “Minha demissão e de minha amiga foi no dia 8 de janeiro. Fomos informados que agimos com improbidade ao fazer o uso do celular dentro do hospital e por causa do vídeo fomos demitidos por justa causa“, relatou à nossa equipe.

Ele e sua colega eram terceirizados pela Solunni Serviços Especializados, prestadora de serviços no HDM cuja sede é no Recife. O conceito de improbidade é “falta de honradez, de integridade, de lisura”. Ou seja, a empresa entendeu que os profissionais erraram ao mostrar a realidade do hospital.

Problemas constantes

Vídeo repercutiu nas redes sociais

“O HDM vive momentos de dificuldade, quando chove é uma realidade que o vídeo mostra. Infelizmente se chover 20 vezes, vai ter alagamento 20 vezes“, contou o funcionário.

Ele está indignado com a atitude da terceirizada e da gestão do Dom Malan já que, na sua visão, não cometeu ilegalidades durante seus mais de dois anos prestando serviço no local.

Pressão por demissão

Apesar de ser funcionário terceirizado, ele relatou por telefone que no dia da demissão gestores do hospital pediram uma reunião com representantes da Sollunni e, após a pressão do HDM, os dois profissionais foram mandados embora. “Foi injusta sim, queria recorrer aos meios legais e Deus está no controle de tudo“, afirmou.

Outro lado

O Blog Waldiney Passos entrou em contato com a Solunni via telefone. Uma funcionária responsável pelo setor afirmou inicialmente não ter conhecimento da demissão, mas alegou que apuraria o fato e encaminharia uma resposta a nossa equipe. Contudo, até o encerramento da matéria, ninguém comentou oficialmente sobre as demissões.

Deixe uma resposta