Exclusivo: processo contra condutor que atropelou ciclistas aguarda denúncia do Ministério Público

Vítimas foram atingidas enquanto pedalavam sentido Serra da Santa (Foto: Reprodução/Internet)

Na próxima quarta-feira (23) a morte dos ciclistas Anaelton Rodrigues Macedo e Rogério Teles de Siqueira completa um mês e o processo que tramita na Justiça de Pernambuco está, por ora, paralisado. Em consulta ao site do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) nossa produção verificou que a última movimentação, datada em 17 de janeiro consta como “Arquivado Provisoriamente”.

Em contato com o TJ fomos informados que “a fase atual do processo é esperar a finalização do inquérito [policial]. Após essa etapa, haverá a formalização da denúncia do Ministério Público de Pernambuco [MPPE]”, afirmou o Tribunal. O despacho foi assinado pelo juiz da 2ª Vara Criminal de Petrolina, Elder Muniz, no dia 14 desse mês. O Blog tentou contato com o juiz, todavia sem sucesso.

LEIA TAMBÉM:

Ciclistas ocupam ruas de Petrolina e cobram justiça para Anaelton e Rogério

Familiares de ciclistas mortos na BR-428 fazem manifestação pacífica neste final de semana, em Petrolina

Petrolina: ciclistas morrem atropelados em acidente na BR-428

Inquérito já foi encaminhado ao Ministério Público, afirma delegado

No entanto, segundo o delegado responsável pelas investigações, Gregório Ribeiro da 124ª Delegacia de Polícia Civil, o Inquérito Policial foi encaminhado ao MPPE no dia 7 de janeiro, primeira segunda-feira do ano. “O inquérito já foi remetido há mais de uma semana”, disse à nossa equipe.

Inquérito já está no MPPE (Foto: Reprodução)

O Blog Waldiney Passos apurou que o Ministério tem um prazo de 15 dias após a finalização do inquérito para apresentar a denúncia. Nós questionamos o MPPE a respeito do andamento do processo.

Também em nota o Ministério respondeu que “o inquérito em questão realmente chegou à Central de Inquéritos de Petrolina no dia 7 de janeiro e encontra-se sob análise. O promotor de Justiça responsável pelo caso está avaliando qual será o posicionamento adotado em relação ao inquérito”, destacou.

Viúva critica demora do Ministério

Procurada pela nossa produção a esposa de Anaelton, Keyla Kaelly se disse inconformada com a decisão de arquivar provisoriamente o processo. “Não estava sabendo dessa decisão”, disse. Segundo a viúva a demora do Ministério Público dá a entender que “estão querendo retardar e deixar o caso cair no esquecimento”.

O processo, apesar de arquivado pode ser retomado após a representação do MPPE.

O caso

No dia 23 de dezembro de 2018 Anaelton e Rogério pedalavam pela BR-428, na zona rural com um grupo de ciclistas. A dupla foi atropelada pelo veículo conduzido por Lucas Roberto da Silva Amorim, de 20 anos. Lucas estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) provisória vencida e dirigia sob efeito de álcool.

Apesar de ter sido preso em flagrante, Lucas foi liberado após Audiência de Custódia e responde em liberdade. Segundo a família de Anaelton, o argumento da Justiça foi a de que o condutor não trazia risco à sociedade.

Deixe uma resposta