Exportação de uva em Petrolina cresce cerca de 50% e produtores comemoram

Petrolina representa cerca de 72% da exportação de uva no país. (Fogo: ASCOM)

Petrolina é a maior produtora e exportadora de uva de mesa do país e as exportações da fruta devem fechar o ano com um balanço comercial positivo. Os produtores já comemoram o movimento de U$ 42,5 milhões comercializados. Até momento, Petrolina enviou para o mercado externo 20,2 milhões de quilos de uva, o que representa 71,35% das exportações nacionais da fruta.

No total, um aumento de 47,9% da exportação da uva petrolinense entre os meses de janeiro e outubro de 2017, quando comparado ao mesmo período do ano anterior, segundo dados apresentados pelo boletim de novembro do Sindicato dos Produtores Rurais (SPR).

Para o presidente do sindicato, Jailson Lira, o saldo azul se deve à qualidade da uva de mesa produzida na cidade e aos investimentos em tecnologia feitos pelos produtores. “Isso tem ajudado a ampliar nossos horizontes no cenário internacional”, disse.

Principais países concorrentes do Brasil, o Chile, Índia, África do Sul e o Peru também têm se destacado no cenário de exportações mundial. O boletim do SPR destaca ainda que 96,4% da uva chilena exportada em 2016 para a Europa foi enviada entre março e maio. Estes números chamaram a atenção dos produtores brasileiros e particularmente os petrolinenses, que investiram em intercâmbios, mais qualidade e diplomacia.

“A nossa exportação para a Europa cresce muito nos meses de outubro, novembro e dezembro, quando ultrapassamos os 55,2% das uvas comercializadas para lá. Nossa produção está com excelente qualidade, então nossa perspectiva é que corra tudo bem e fechemos o ano superando as expectativas, apesar da crise hídrica que enfrentamos com o baixo nível da barragem de Sobradinho”, ressaltou Jailson Lira.

As estatísticas do SPR mostram também os quatros principais importadores da fruta petrolinense em 2016: a Holanda com 10.470.126 kg importados; Reino Unido com 6.385.991 kg; Alemanha com 836.367 kg; e a Argentina, que consumiu 674.179 kg da uva de mesa. O Boletim do sindicato, ainda destaca o número de empregos da cultura da uva em Petrolina, na ordem de 11.783, além dos dados de produção e postos de trabalho gerados pelo cultivo e comercialização da manga no Vale do São Francisco.

Deixe uma resposta