Facape participa de mobilização estadual para volta do Proupe

Reunião Assiespe

As autarquias municipais estão unindo forças para cobrar do Governo do Estado o retorno do Programa Universidade para Todos em Pernambuco (Proupe). As bolsas não foram renovadas este ano e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) cobra a requalificação do programa para reduzir os custos. Esta semana, gestores de 11 autarquias estiveram no Recife para discutir o problema e definir ações para regularização do pagamento.

O diretor acadêmico da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape), Antonio Habib, esteve presente no encontro, que foi articulado pela Associação das Instituições de Ensino Superior do Estado de Pernambuco (Assiespe). Também participaram três técnicos da SECTI, que solicitaram aos gestores a formação de um Grupo de Trabalho (GT) para auxiliar a secretaria na reformulação do programa. A Facape participará da equipe, com trabalhos marcados para iniciarem em abril.

Também ficou acordado que na próxima quarta-feira (23) – durante a audiência pública na Assembleia Legislativa (Alepe) sobre o Proupe – será protocolada uma carta-ofício solicitando um encontro com o governador Paulo Câmara. No dia 31 de março, está agendada a Mobilização Estadual dos Bolsistas do Proupe, organizada por cada autarquia no turno da noite, sem o cancelamento das aulas.

Encontro com o vice-governador em Petrolina

O Proupe poderá ser a pauta de uma reunião entre o presidente da Facape e vice-presidente da Assiespe, Rinaldo Remígio, e o vice-governador de Pernambuco, Raul Henry. Segundo o docente, será a oportunidade de mostrar a importância do programa.

“Milhares de estudantes do interior necessitam do Proupe. São famílias que não têm condições de sustentarem seus filhos na capital. O vice-governador Raul Henry estará em Petrolina na próxima semana e estamos articulando um encontro com ele para mostrar a necessidade de manter as autarquias nas mais diferentes regiões do Estado. O governo precisa abrir o edital para o programa no segundo semestre deste ano e regularizar os pagamentos atrasados”, explicou Remígio.

Com informações Ascom

Deixe uma resposta